Entidade pede ao STF que anule reeleição de presidente da ALMT

Constituição de Mato Grosso estaria contrariando a Federal e processos julgados recentemente pelo STF

(Foto: Angelo Varela / ALMT)

A Confederação Nacional das Carreiras Típicas do Estado (Conecate) ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) na qual requer uma liminar determinando uma nova eleição para a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

O pedido foi distribuído ao gabinete do ministro Alexandre Moraes e já está concluso para decisão.

A entidade questiona trecho do Artigo 24 da Constituição de Mato Grosso, que estaria em desacordo com a Constituição Federal, permitindo sucessivas reeleições de presidentes do Legislativo.

“É indiscutível a ilegalidade de uma terceira presidência da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso ao Sr. Eduardo Botelho, sendo inadmissível a reeleição por mais de uma vez”, diz um dos trechos do pedido.

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa para o biênio 2021/2023 é presidida por Eduardo Botelho (DEM) e composta ainda pelos seguintes parlamentares: Max Russi (PSB), primeiro-secretário; Janaína Riva (MDB), 1ª vice-presidente; Wilson Santos (PSDB), 2º vice-presidente; Valdir Barranco (PT), 2º secretário; Delegado Claudinei (PSL), 3º secretário e o deputado Paulo Araújo (Progressistas), 4º secretário.

O pedido da Confederação ainda ressalta decisão recente do Supremo Tribunal Federal (STF) que reconheceu a impossibilidade de reeleição dos presidentes das Casas Legislativas dentro de uma mesma legislatura.

Por isso, é solicitado que, no julgamento de mérito da Adin, a Suprema Corte declare inconstitucional o parágrafo 3º do art. 24 da Constituição de Mato Grosso, pela contrariedade à Constituição Federal.

O texto da lei mato-grossense diz: “os membros da Mesa e seus respectivos substitutos serão eleitos para um mandato de 02 (dois) anos, na forma estabelecida pelo Regimento Interno da Assembleia Legislativa, permitida a recondução”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVai ter que explicar
Próximo artigoCovid-19: TCE quer lista pública de todos os vacinados em Cuiabá