Entenda o aumento da energia e conheça os vilões do consumo

Com a tarifa mais cara, as pessoas precisam ficar vigilantes para evitar o desperdício

(Foto: Freepik)

A partir deste mês, a conta de energia elétrica vai aumentar por conta da mudança da bandeira tarifária, que entrou no 1º patamar da cor vermelha. O acréscimo vem em um momento no qual alguns termos estrangeiros são usados para justificar o aumento do consumo dentro das casas. Entre eles estão: home office, aulas on line e lazer in door.

“Abre e fecha de geladeira, equipamentos eletrônicos conectados o dia todo, ar-condicionado e ventiladores em vários ambientes para amenizar o calor. Tudo isso influencia diretamente no consumo da energia elétrica”, explica Murilo Galvão Marigo, gerente de Serviços Comerciais da Energisa Mato Grosso.

Mudança de bandeira

Na última semana, a agência reguladora expôs que, com o início do período seco foi preciso acionar a bandeira vermelha patamar 1 para o mês de maio.

Sem chuvas nas principais regiões do país, o cenário de reservatórios reduzidos desfavorece a produção de energia pelas hidrelétricas. Na prática, a tarifa de energia elétrica para o consumidor final terá um acréscimo de R$ 4,169 a cada 100 kWh (quilowatt-hora) consumidos.

“A mudança na bandeira tarifária incide também sobre os impostos estaduais e federais. Então, todos os consumidores precisam redobrar a atenção, planejar o consumo e rever hábitos individuais e coletivos, no dia a dia, para que consigam economizar energia”, orienta Murilo.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado pela Aneel e funciona como uma sinalização para que o consumidor de energia elétrica conheça, mês a mês, as condições e os custos de geração no país.

Quando a produção nas usinas hidrelétricas (energia mais barata) está favorável aciona-se a bandeira verde, que não tem acréscimo na tarifa. Em condições ruins podem ser acionadas as seguintes bandeiras: amarela, com acréscimo de R$ 1,34 por 100 kWh; vermelha patamar 1, com mais R$ 4,16 por 100 kWh; e vermelha patamar 2, com aumento de R$ 6,24 a cada 100 kWh .

Reajuste Tarifário

É muito importante lembrar que em 22 de abril a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou o índice de reajuste tarifário da Energisa Mato Grosso. O efeito médio percebido pelo consumidor será de 8,90%, e passou a valer na data da divulgação.

Pelo cálculo da Aneel, os clientes de baixa tensão (residencial e comercial) terão correção de 8,34% e alta tensão (indústrias), 10,36%. O reajuste tarifário é um processo regulado e definido pela Aneel, previsto no contrato de concessão da empresa.

Estes contratos apresentam regras bem definidas a respeito das contas de luz, bem como a metodologia de cálculo dos reajustes. Pela norma, o valor da tarifa deve ser reajustado anualmente – o chamado Reajuste Tarifário Anual – e a cada cinco anos, no processo de Revisão Tarifária Periódica.

Todas essas informações são públicas e ficam disponíveis no site da Agência Nacional de Energia Elétrica – ANEEL.

Consumo consciente

Alguns equipamentos como ar-condicionado, geladeira, chuveiro elétrico e ferro de passar favorecem o aumento no consumo de energia. Porém, o gasto também está atrelado aos hábitos das pessoas.

“Algumas práticas como guardar alimentos quentes na geladeira ou sobrecarregar a tomada com vários aparelhos, também contribuem para aumentar o consumo da energia. Por isso, além de manter as instalações elétricas revisadas, adquirir equipamentos com selo de eficiência energética e desligar aparelhos sem uso das tomadas, é importante que as pessoas adotem um comportamento consciente e assumam o compromisso diário de evitar o desperdício de energia”, alerta Marigo.

Você sabe quais os vilões do consumo?

Ar condicionado

O uso de um ar condicionado contribui para o aumento do consumo de energia em cerca de 30% durante o período mais quente do ano. Quando o calor for intenso e não puder abrir mão dele, escolha a temperatura de 23 graus e faça a manutenção e limpeza periódica dos filtros para que a sujeira não atrapalhe o bom funcionamento do aparelho. Alguns aparelhos possuem a função “modo econômico”, que de forma inteligente controlam a temperatura para o uso mais eficiente de energia.

Geladeira

Certifique-se de que a vedação (borracha) está perfeita. Se não estiver funcionando bem, a geladeira pode ficar aberta, favorecendo a entrada de ar quente, o que exigirá maior gasto de energia para que o eletrodoméstico cumpra a função de refrigeração. Além disso, evite abrir a geladeira toda hora. Quanto mais tempo aberta, mais energia vai consumir. Não coloque alimentos quentes na geladeira, pois ela vai gastar mais energia para fazer com que o alimento quente chegue à temperatura dos demais.

Aparelhos em stand-by

Televisão, micro-ondas, DVD, cafeteira e outros equipamentos na tomada consomem energia. Retire-os da tomada após o uso.

Chuveiro elétrico

Responsável por cerca de 25% do consumo de uma residência, o chuveiro elétrico também pode contribuir para que a sua conta de luz venha alta. Então, ao utilizar esse aparelho, verifique a opção em que ele se encontra. A opção “verão” consome 30% menos que a “inverno”.

Máquina de lavar e ferro

Não fracione a lavagem de roupas. Se possível, acumule peças e lave tudo de uma vez. Assim, a máquina funcionará com toda a sua capacidade em intervalos maiores, o que reduz o consumo de energia. O mesmo vale para o uso do ferro de passar roupas.

Luminárias

Modernas e bonitas em qualquer ambiente, as luminárias podem consumir a mesma energia que algumas lâmpadas de teto. Evite deixá-las ligadas por muito tempo, assim como os abajures.

Equipamentos novos

Ao comprar um equipamento novo e começar a utilizá-lo, tenha a ciência de que haverá aumento no consumo da energia de sua casa. Mas, para minimizar esse gasto, adquira produtos com o Selo Procel. A economia ao longo do tempo vale a pena.

Instalações internas

Emendas em excesso ou instalações inadequadas podem gerar sobrecarga e aumentar o consumo, além do perigo. Nesses casos, é importante que um eletricista faça a revisão das instalações internas. Evite, ainda, usar “benjamin”, ou T, para ligar vários aparelhos. Esses dispositivos podem gerar sobrecarga e provocar um curto-circuito e até incêndio.

Computador

Nos intervalos do trabalho, das aulas ou até da diversão on-line, desligue o monitor ou ative o “modo de espera” do computador ou notebook para poupar energia.

Trabalho e estudo em casa

Ao trabalhar ou realizar atividades escolares em casa procure um ambiente ventilado e com maior entrada de iluminação natural. Dessa forma, não será preciso manter as lâmpadas acesas durante o dia todo. Se, mesmo assim precisar acender a lâmpada, dê preferência às de LED, pois esses modelos consomem menos energia.

(Com informações da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorO Governo do Estado investe em Mato Grosso por inteiro
Próximo artigoHome office: 5 dicas de cuidados com a coluna