Enem em ano de pandemia: saiba o que mudou

A reportagem do LIVRE separou alguns pontos para você não "se perder" no dia da prova

Faltando um mês para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020, Eduardo Sousa, coordenador geral de Exames do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), participou de um encontro online – promovido pela Evolucional – em que abordou assuntos como: recomendações devido à pandemia, Enem Seriado e Enem Digital.

A reportagem do LIVRE separou alguns pontos para você não “se perder” no dia da prova.

1. Pandemia

Além do uso obrigatório de máscara e da disponibilização de álcool em gel para os estudantes, Eduardo Sousa disse que os candidatos estarão distribuídos em mais locais de aplicação da prova. Dessa forma, haverá menos pessoas em cada sala.

2. Estou infectado, e agora?

Segundo o coordenador, haverá medição da temperatura de cada um na entrada das salas. E os estudantes que tiverem sintomas suspeitos da covid-19 não poderão fazer a prova. Mas isso não é motivo para preocupação.

O candidato terá digitalizar um laudo médico em seu perfil no site do Inep, até um dia antes da prova, para que o documento possa ser avaliado e a prova remarcada.

O mesmo vale para alunos que estejam com outras doenças infectocontagiosas.

3. Enem Digital

Eduardo Sousa foram realizados muitos testes, inclusive com alunos, e a prova digital é “extremamente confiável”. Mas há um detalhe: nem tudo será feito no computador. A redação, mesmo para aqueles que farão a prova digital, será feita no papel.

4. Quedas de energia

Uma das principais preocupações do Inep no que diz respeito ao Enem Digital era a possibilidade de uma queda de energia no momento da prova. “Caso aconteça isso, a prova será salva o tempo todo e, ao restabelecer a energia, o sistema voltará para a mesma tela que estava”, garante o coordenador.

5. O Enem do futuro

Além das mudanças necessárias por conta da pandemia, o Inep vem preparando uma série de alterações no exame para os próximos anos. É o caso da versão digital da prova. Segundo Eduardo Sousa a ideia é que, em próximas edições, o candidato possa escolher que dia a fará.

Além disso, o Inep está preparando o Enem Seriado. Nele, os alunos do ensino médio formarão uma nota a partir da pontuação adquirida em cada uma das três séries. E essa nota poderá ser utilizada para acesso ao ensino superior.

A aplicação dele começa já no próximo ano e a utilização das notas será para ingresso nas universidades em 2024.

Mesmo assim, o Enem tradicional continuará existindo, o que significa que as universidades precisarão destinar vagas para os dois tipos de ingresso.

Os estudantes que começarem o primeiro ano do ensino médio em 2021 farão a primeira versão do novo Enem Seriado com questões de língua portuguesa e matemática. Apenas no terceiro ano o exame contará com questões de ciências humanas, ciências da natureza, matemática, linguagens e códigos.

A prova também deve ser em formato digital.

(Com Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDepois do IPVA, governo de MT dilata prazos para pagar o licenciamento do carro
Próximo artigoSecretário recebe alta