Endividado? Temos 10 dicas para colocar em prática em 2022

As primeiras ações precisam começar antes do ano virar. Então, mãos a obra

(Foto: Freepik)

Nos últimos dois anos, a maioria da população teve suas finanças pessoais afetadas pela pandemia. Houve perda ou diminuição de renda, gastos que aumentaram e dívidas que começaram a se acumular.

Dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostram que o número de endividados passa de 59,4 milhões de pessoas.

Por este motivo, é importante organizar as finanças em 2022 e se preparar para imprevistos. E segundo Matheus Assy, CRO e cofundador da fintech Pilla, o final de ano é a oportunidade de refletir sobre o orçamento e traçar um planejamento.

1. Faça uma avaliação financeira

O primeiro passo para traçar qualquer tipo de planejamento é identificar a situação atual e definir o objetivo que queremos alcançar. Com as finanças não é diferente. Por isso, a primeira coisa a se fazer é encarar a realidade e avaliar como andam as suas finanças.

2. Anote e classifique todas as suas dívidas

Se você possui contas em atraso é preciso anotar todas as dívidas classificando-as pelos juros cobrados. Geralmente, o cartão de crédito e o cheque especial cobram altas taxas pelos débitos em atraso. Se esse for seu caso, o seu objetivo será quitar primeiro as dívidas que cobram mais juros.

A partir dessa análise será possível avaliar se é benéfico trocar uma dívida com uma alta de juros por uma que ofereça uma melhor condição, como um empréstimo consignado.

E com a chegada do final do ano muitos brasileiros conseguem uma renda extra com trabalho temporário ou recebem o décimo terceiro, esse também é um ótimo momento para avaliar se existem dívidas que podem ser quitadas.

3. Anote todos seus ganhos e gastos

Muitas vezes chegamos ao final do mês e não sabemos de que forma gastamos o nosso dinheiro. Por isso, é importante criar o hábito de anotar todos os ganhos e gastos. Essa rotina vai te ajudar a identificar como você está gastando e nos leva até o próximo ponto.

4. Comece a cortar gastos

Depois de identificar quais são seus hábitos de consumo e como você tem gastado o seu dinheiro, será possível identificar quais gastos são essenciais e quais não. A partir disso, é possível cortar gastos que não são tão necessários, como diminuir o número de vezes na semana que você pede um delivery, se for necessário.

(Foto: Maitree Rimthong / Pexels)

5. Trace um planejamento

Para quitar as dívidas é necessário poupar dinheiro e você só saberá o quanto precisa poupar por mês se criar um planejamento. Pense como você quer ver suas finanças daqui três, seis e nove meses e trace metas realistas que você irá conseguir cumprir ao longo do ano.

6. Faça um acompanhamento contínuo

Para muitas pessoas, o mais difícil em relação às finanças é manter o planejamento, por isso, é necessário sempre acompanhar seu orçamento e se você está conseguindo atingir suas metas.

Caso perceba que a sua realidade está muito diferente do seu plano, reveja o planejamento e diminua as metas, o importante é ter constância para diminuir as dívidas e disciplina para não acumular novas pendências. É importante transformar o controle financeiro em parte da rotina.

7. Crie uma reserva de emergência

Imprevistos podem acontecer na vida de qualquer pessoa e a reserva de emergência é um fundo exatamente para essas situações. Sem uma reserva de emergência, você pode entrar em uma dívida, que irá gerar um gasto muito maior no futuro.

O ideal é que a reserva de emergência seja suficiente para suprir os gastos durante seis meses e que seja aplicada em um fundo de liquidez diária, ou seja, em um produto financeiro em que é possível retirar o dinheiro no mesmo dia que solicitado o resgate.

(Pixabay)

8. Pesquise antes de comprar

As compras por impulso podem atrapalhar o planejamento financeiro. Para evitar esse comportamento, é importante pesquisar antes de comprar, avaliar se o preço está bom e refletir se aquele item é realmente necessário.

9. Comece a investir

Se você já conseguiu quitar suas dívidas e montar sua reserva de emergência, é o momento para começar a investir. E se você já investe, é importante também começar a diversificar a carteira.

Para quem está começando o assunto pode parecer complicado, mas existe muito material na internet sobre o assunto e pensando, principalmente, no longo prazo será muito importante investir.

10. Estabeleça metas e prazos

Ao traçar o planejamento é importante pensar quais são suas metas e prazos para atingi-las. Grandes sonhos como comprar uma casa ou fazer uma viagem internacional pode parecer um plano distante, mas se você se organizar e estipular um prazo real é possível alcançar. Essas metas devem ser traçadas e revisitadas ao longo do tempo.

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDireita sem candidato
Próximo artigoDesmistificando a ansiedade