Empresários e autônomos ganham anúncio gratuito em redes sociais e rádio; saiba como

Bom para quem vende, bom para quem compra: fica fácil achar diversos serviços e produtos em um só lugar. Ah! E o LIVRE também é parceiro, divulgando gratuitamente anúncios em seu instagram!

Para evitar sobrecarga no sistema de saúde em decorrência do surgimento dos casos de contágio pelo coronavírus, a OMS e o Governo Federal mantêm a recomendação de isolamento social.

E como o decreto municipal mais recente acompanha a orientação, muitas empresas cuiabanas, para não demitir funcionários e garantir fluxo de caixa, estão tendo que se reinventar.

Principalmente, as pequenas empresas e profissionais autônomos, que também vêem hoje no sistema de entregas, uma alternativa para contornar a crise econômica que se instaura.

E é graças à oferta desses serviços, que muitas pessoas têm garantido a manutenção da dispensa, depois que suas rotinas mudaram consideravelmente.

Para conectar os dois lados, do empreendedor e do consumidor, é que nasce uma nova iniciativa para facilitar a sua vida. Para que além de garantir produtos essenciais à sua casa, você possa colaborar com os microempreendedores.

Todos por Todos MT

A conta no Instagram Todos por Todos MT divulga serviços de empresas que atuam na Capital e que estão funcionando via delivery. Tem de tudo! Empresas e autônomos que entregam água, gás, frutas e verduras; padarias, farmácias, lojas de produtos naturais, de materiais de limpeza, que entregam carne

Tem também lavanderia, clínica veterinária, empresa que aluga bikes e kits de ginástica para treino em casa e até uma loja que vai até a casa do cliente e aguarda enquanto ele experimenta roupas.

O LIVRE se associou à rede que reúne outros veículos de comunicação e influenciadores digitais. Publicitário e nosso social media, Marcus Paulo de Faria Valentim conta como tudo começou.

Engajamento social

Ele foi inspirado por uma ação puxada pelo influenciador Mateus Baptistella – do @vireiadulto – que se predispôs a divulgar micro e pequenos empresários que estavam sofrendo com a crise do coronavírus.

“Gostei da ideia e decidi implementá-la aqui, mas não apenas por 24h e, sim, enquanto a crise perdurar. Pelo visto, até depois”.

No mesmo dia, outro conhecido de Marcus, o Padre Arnaldo idealizou a hashtag #todosportodos e pediu que ele e outras pessoas divulgassem.

“Somando as duas coisas, desde o dia 27 divulgo sem custo, no meu perfil Experimentando Por Aí, empresas de Cuiabá e região que fazem delivery e que estão sofrendo por conta da covid-19”.

Ele faz vídeos divulgando os serviços e produtos da empresa, coloca informações de contato, entre outras ações. E claro, em boa parte das vezes, faz seus pedidos e colabora!

Colaboração dupla: além de divulgar, ele aproveita para fazer os pedidos pra sua casa, fazendo a economia girar

A rede solidária cresceu

No fim de semana, o diretor de planejamento e produtos do site Leia Agora, Léo Rodrigues o procurou para que juntos criassem o movimento, conhecido agora como @todosportodosmt.

“A ideia é juntar o máximo de pessoas nessa divulgação, onde divulgaríamos as empresas nos nossos stories (perfis dos apoiadores e do movimento) dentro de um template. Lembrando que esse movimento se soma à ação que continuo fazendo nos stories”, ressalta Marcus.

Além do LIVRE – que divulga diariamente produtos e serviços via stories em sua conta oficial no Instagram, endossam a iniciativa, a Capital FM, Leia Agora, Programa de Chapa, PlayAgora, Entretê, Kadosh Agência Criativa e GuiaVip.

“Já tem mais gente querendo colaborar, essa rede de apoiadores deve ganhar mais vulto”, comemora.

Motivação e esperança em tempo de crise

Léo Rodrigues está bastante satisfeito com a iniciativa. Ele viu no projeto a possibilidade de motivar e trazer esperança para as pessoas que têm sofrido com os impactos da crise decorrente do coronavírus.

“Esse comércio na maioria das vezes não tem grana para propaganda, e nesse momento sofrem mais que os outros. Quando você está na lona é difícil encontrar pessoas para te ajudar”, observa.

Ele ressalta, que principalmente os autônomos têm sofrido o peso, já que não podem mais circular pelas ruas.

“Os escritórios, por exemplo, estão vazios. A tia do bolo, por exemplo, muitas vezes tem um salário de aposentadoria que nem paga os remédios. Vende bolo para ajudar na renda. Aí ela não pode ir nos lugares vender, ela vai viver do quê?”.

Ajudar quem não tem capital de giro, que muitas vezes vende hoje para comprar os produtos da próxima remessa, é um dos principais objetivos. “A ideia é ajudar essas pessoas, que não tem condições de vender de porta em porta, mas pode fazer um delivery”, relata.

Anúncios pelas ondas do rádio

O marido de dona Maria da Penha, 52 anos, é uma dessas pessoas citadas por Léo. Como nem ela e nem o marido dominam aplicativos de celular e redes sociais, o casal foi alcançado por uma outra mídia: o rádio.

É que a Capital FM, como parceira do projeto, também está ajudando os microempreendedores, oferecendo anúncios gratuitos durante a programação ao vivo.

O marido dela, popularmente conhecido como Coxão, 59 anos, é ‘salgadeiro’ e passa o dia todo vendendo os lanches que prepara, por diversos cantos da cidade. Cada salgado custa R$ 3,00 e da região da Rodoviária, onde moram, ele faz um trajeto que o leva até o Coxipó. De bicicleta, todo dia.

“Eu estava ouvindo a Capital FM quando eu ouvi o locutor dizendo que se a gente tivesse algum serviço ou produto para divulgar! Aí eu resolvi ligar e eles divulgaram sobre os salgados. Ele faz isso há mais de 20 anos e nunca tivemos uma oportunidade dessas”, se alegra.

Anunciantes entram ao vivo

Anunciantes “vendem o peixe” durante a programação ao vivo

A dona de casa diz ter sido emocionante poder falar sobre o salgado da família para os ouvintes da rádio.

“Estamos torcendo para alguém ligar porque essa é nossa única fonte de renda. Ele está se vender, não pode circular né? Não tem ninguém nas empresas, na rua… A gente depende dessa renda”, enfatiza.

O espaço é aberto gratuitamente aos aos novos anunciantes da temporada, que não pagam nada pela divulgação na Capital FM, na faixa entre as 9h e 17h. Para participar, a pessoa deve ligar no (65) 3054-1019. Ela vai entrar ao vivo com o locutor para divulgar o seu serviço.

O diretor de Comunicação, João Neto, faz questão de enfatizar que seu veículo abriu essa oportunidade, apenas com a intenção de colaborar com os ouvintes. Até o momento, mas de 35 empresas, de segmentos diversos, apostaram na “janela que se abriu”.

“Tem anunciante oferecendo todo tipo de produto. Tem lanchonetes, restaurantes, agências de viagem, pet shop… mas principalmente, autônomos que dependiam exclusivamente da produção artesanal para garantir renda à sua casa”, conta.

O serviço gratuito tem começa a chamar a atenção. “Além de mais de 40 perfis estarem divulgando a campanha, tem muita gente mandando mensagens querendo saber mais sobre os anúncios da rádio, por exemplo. Pensando nisso, incorporamos duas novas vias”.

Levando em consideração que algumas pessoas podem estar tímidas em interagir ao vivo com os locutores, ele abriu espaço para quem quer mandar áudios ou texto, divulgando seu serviço. “Mas com certeza, na interação ao vivo com o locutor dá ‘para vender o peixe’ melhor”, avalia.

Sem fim comercial

Segundo João Neto, a ação segue por tempo indeterminado. “Vai continuar enquanto acharmos que as pessoas precisam e que o comércio está parado. E eu faço questão de ressaltar que não há qualquer intenção comercial nesta iniciativa. Ninguém aqui vai fazer uma listinha e sair procurando depois para anunciar”. Até porque, quase nenhum dos anunciantes teria como custear.

O diretor de comunicação já comunicou o departamento comercial, proibindo qualquer iniciativa dessas. “Não estamos tentando vender algo. Não tem fim comercial, estamos tentando ajudar”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorOzônio na limpeza interna de veículos é eficiente contra a Covid-19
Próximo artigoQuanto menor, mais controle: saiba como é a quarentena no interior de MT