Empresa tem fazenda invadida, desapropriada e agora luta para não precisar pagar impostos

Proprietário quer "se livrar" legalmente da área, que já teve inclusive novos títulos de posse emitidos

(Foto: Reprodução)

Uma empresa do setor imobiliário está em busca de cancelar a escritura de uma fazenda, que foi ocupada e, inclusive, teve a área usada para reforma agrária. Além de não querer mais a propriedade, os empresários querem que seja suspensa a cobrança do Imposto Territorial Rural (ITR).

Em primeira instância, a decisão judicial definiu que a Prefeitura de Barra do Garças e nem o cartório da cidade eram parte legítimas no processo, o que resultou na extinção da ação.

Contudo, a decisão foi revista pelo Tribunal de Justiça na segunda-feira (8) e as partes foram consideradas legítimas para resolver o problema.

O advogado da empresa explicou que a área, conhecida como Fazenda Jaraguá, era de propriedade da empresa, mas que seus clientes nunca tomaram posse efetiva da área.

Então, o local foi invadido e os órgãos governamentais de regularização fundiária a incorporaram a de outra matrícula, na cidade de Canarana.

Porém, a empresa não quer discutir o imbróglio, apenas quer que a matricula da fazenda de sua propriedade seja oficialmente cancelada e que, assim, não precise mais pagar os impostos.

Com a decisão do TJ, a empresa terá a chance de tentar resolver o problema na 1ª Instância novamente.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMais R$ 0,50 no litro da gasolina
Próximo artigoPrefeitura de Cuiabá amplia rede para tentar frear casos graves de covid-19