Emanuel recorre ao STF contra limitações ao comércio e toque de recolher

Prefeito de Cuiabá diz que governador patrocina desemprego e minimiza a inércia para expandir a quantidade de leitos de UTI

(Foto: Fernanda Camargo)

Prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB) autorizou a Procuradoria Geral do Município a ingressar com uma reclamação junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) questionando a constitucionalidade do decreto do governador Mauro Mendes (DEM) que limita o funcionamento do comércio e impõe toque de recolher em todo o território estadual.

O anúncio foi feito pelo próprio prefeito em live transmitida pelas redes sociais no início da noite desta quarta-feira (3).

Emanuel pregou respeito à decisão do Tribunal de Justiça, mas classificou o decreto do Executivo estadual como “insensível” e “cruel” e disparou críticas ao governador.

“A gente precisa de um líder com uma postura de respeito, equilíbrio e serenidade, principalmente, em um momento tão difícil como o que estamos passando. O senhor diz que é empresário, mas se fosse empresário, estaria entendendo a dor de seus colegas e a angústia dos trabalhadores, com medo de perder seus empregos. Pare com isso, governador, eu sei que o senhor é despreparado, mas aí já é demais”, disparou.

Pelo decreto do governo do Estado, todas as atividades econômicas devem encerrar as atividades às 19h. A medida entrou em vigor desde esta quarta-feira.

LEIA TAMBÉM

“O desemprego ronda a vida dos trabalhadores causando medo, receio, depressão, crises emocionais e vários outros agouros. No setor produtivo, as medidas são tomadas e anunciadas sem planejamento, sem diálogo respeitoso com quem produz, com quem gera emprego e renda e precisa trabalhar mesmo em tempos de pandemia”.

Com relação à crítica de que não patrocinou a abertura de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) para comportar pacientes diagnosticados com a covid-19, Emanuel disse que se trata de uma responsabilidade do Estado e do governo federal.

“O município só executa, mas a responsabilidade de financiar novos leitos é do Estado e da União. O senhor não sabia disso? O senhor quer que eu abra leitos? Repasse o recurso para Cuiabá. Recebeu R$ 5 bilhões no ano passado para combate à pandemia. Tem recursos suficientes para passar para todos os municípios”, concluiu.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Não paga Fornecedores da Saúde.
    Esconde leitos de uti.
    Enche os bolsos do Paletó.
    Decreta lookdown mo momento errado.
    Não contrata Profissionais da Saúde.
    Afroxa tudo para garantir sua reeleição.
    E agora fica fazendo confusão ao invés de pemsar na população.

    Esse é o Mané do Paletó.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorQuem manda mais?
Próximo artigoMP pede a Prefeitura de VG que revogue decreto flexibilizando regras impostas pelo Estado