Emanuel Pinheiro: “não adianta fechar a Capital e deixar o interior aberto”

Prefeito da Capital afirma que pacientes do interior ocupam 60% dos leitos de UTI de Cuiabá

(Foto: Assessoria)

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (DEM) fez um apelo ao juiz José Leite Lindote, da Vara Especializada de Saúde, e demais autoridades públicas, para que a suspensão das atividades econômicas por 15 dias seja estendida a todos os municípios do Estado.

Emanuel justifica que a maioria dos pacientes internados em Cuiabá são do interior do Estado.

“É natural que do interior, sem UTI, os pacientes venham para Cuiabá. Mas 60% dos leitos para covid estão ocupados por moradores do interior do Estado. Por isso, qual é o sentido de decretar lockdown em Cuiabá?”, diz o prefeito.

O pedido feito pelo prefeito é declaratório – não tendo sido formalizado nem ao Poder Judiciário, Ministério Público ou Governo do Estado – e sabendo improvável a probabilidade do decreto de lockdown ser estendido a todos os municípios do Estado em menos de 24h, Emanuel já está com a apelação pronta para ser protocolizada na manhã desta quarta-feira (23) junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), conforme havia adiantado o LIVRE.

Efeitos negativos

Emanuel enfatiza que a decretação do fechamento total das atividades econômicas pelos próximos 15 dias não vai significar esvaziamento dos leitos de UTI já ocupados por pacientes com covid, e nem que cessará a vinda de novos pacientes do interior do Estado.

“Vamos trancar dentro de casa as duas maiores populações do nosso Estado, e os leitos das UTIs continuarão lotados. Isso vai gerar desemprego, cair a renda da população, quebrar empresas, vai levar ao colapso a economia cuiabana e mato-grossense”, assevera o prefeito.

Emanuel afirma que se fizer o lockdown vai prejudicar quem fez o dever de casa – fazendo referência às medidas não farmacológicas adotadas por Cuiabá desde o começo da pandemia.

Sugestões

Além de defender que o lockdown seja decretado em todo o Estado, Emanuel afirma que implantará algumas estratégias:

  • Ampliação dos leitos de UTI – entrega de mais 20 leitos
  • Ampliação dos leitos de enfermaria com uso de oxigênio
  • Teleatendimento médico
  • Uniformizar medidas de distanciamento social na baixada cuiabana
  • Instituições de ensino vão continuar fechadas
  • Bares e restaurantes – vão passar por reavaliação semanal – mas neste momento deverão ficar fechados
  • Comunicação maciça em relação à higiene
  • Kit contra o covid – com medicamentos

VG respeitará decisão

A Prefeitura de Várzea Grande informou por meio de assessoria de imprensa, que ainda vai avaliar se entrará com recurso contra a ordem de fechamento total, mas que por hora vai respeitar a decisão.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNetflix anuncia continuação do clássico A Fuga das Galinhas
Próximo artigoSecretária interina de Educação