Emanuel estuda toque de recolher às 19h e diz que lockdown é “última medida”

Emanuel Pinheiro avalia que não adianta fechar tudo e deixar as pessoas desempregadas e as empresas quebradas

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB) afirmou há pouco que avalia endurecer as medidas de combate ao coronavírus. Emanuel declarou que estuda começar o toque de recolher mais cedo, entre 19h e 20h.

A declaração foi dada minutos antes de se reunir com o governador do Estado, Mauro Mendes (DEM), a prefeita de Várzea Grande, Lucimar Campos (DEM) e o juiz da Vara Especializada de Saúde, Luiz Lindote, no Fórum de Várzea Grande, para uma conciliação em torno do pedido de decreto de lockdown feito pelo Ministério Público Estadual.

Emanuel voltou a defender que o lockdown (fechamento completo de todas as atividades da cidade) deve ser uma última medida, e que antes a prefeitura deve adotar outras ações.

“Nossa maior preocupação atual é o novo normal, a convivência segura com o vírus. Não adianta trancar todo mundo em casa, desempregar, fechar empresas, criar impactos econômicos, e se não conseguirmos segurar os números de leitos públicos e privados, principalmente as UTIs”.

Novos leitos de UTI

Emanuel reforçou que na próxima semana deve entregar entre 10 e 20 novos leitos de UTI e que está trabalhando para conseguir mais 20 leitos.

Por outro lado, o secretário de Saúde, Luiz Pôssas de Carvalho, criticou outros municípios, afirmando que enquanto “Cuiabá fazia seu dever de casa”, adotando medidas restritivas de isolamento social com fechamento do comércio, muitos municípios não tiveram a mesma postura.

“Mato Grosso deixou alguns casos em aberto, enquanto estávamos fazendo o dever de casa. Essas cidades estão agora provocando toda essa saturação e lotação do sistema de UTIs”, apontou o secretário.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorArquiteta morre em acidente entre motocicleta e caminhão em Cuiabá
Próximo artigoA educação profissional na pandemia: contribuições para a sociedade

O LIVRE ADS