Em primeiro programa, Taques critica governo passado e Mauro diz que atual governo é corrupto

Wellington Fagundes contrapôs tucano e prometeu cuidar de pessoas

Candidatos ao Governo do Estado nas eleições deste ano

No primeiro programa eleitoral na televisão, nesta sexta-feira (31), os candidatos a governador se apresentaram aos eleitores e aproveitaram para trocar indiretas. O governador Pedro Taques (PSDB) manteve o discurso dos últimos quatro anos, citando a herança recebida do governo de Silval Barbosa (ex-MDB), e ligando o ex-governador aos adversários de hoje.

“Quero que você reflita sobre como assumimos o Estado. Arrasado por uma quadrilha que nos roubou e deixou dívidas altíssimas”, disse Taques. “Não se deixe levar pela conversa fácil de oportunistas. Analise a ficha de cada candidato e do grupo que está com eles”, completou. O narrador o chama de “governador que não vai deixar Mato Grosso voltar ao passado”.

Com o mote de que está “arrumando a casa”, o tucano reviveu o slogan da reeleição de Dante de Oliveira (PSDB), vinte anos depois. Taques falou das suas realizações no governo e afirmou que continua o mesmo, tentando manter o conceito de homem honesto que construiu nas campanhas passadas.

“Hoje não quero pedir o seu voto. Quero uma oportunidade para falar, olho no olho, sobre tudo o que fizemos. Eu sei que passamos por um desgaste muito grande. Mas quero que saibam que continuo sendo o mesmo Pedro: verdadeiro, honesto, mas muito mais experiente”, disse. “Sei que ainda falta muito, mas acredite, muito já foi feito”, afirmou.

Na sequência, exibiu imagens do Estado e números do seu governo. Depois, mostrou depoimentos de cidadãos. Um idoso diz que “na segunda gestão, ele terá a chance de colocar a casa em ordem”. Depois, uma idosa diz que ele é honesto e não rouba. Na sequência, outra mulher afirma que o primeiro governo que a enxergou foi o de Pedro Taques.

 

O programa de Mauro Mendes (DEM) mesclou críticas ao atual governo e ao governo passado, com exaltação da sua gestão como prefeito de Cuiabá e do candidato a vice da sua chapa, Otaviano Pivetta (PDT), ex-prefeito de Lucas do Rio Verde. Mendes foi o único a citar o vice, que inclusive gravou para o programa. “Temos uma obrigação com Mato Grosso: precisamos resgatar o Estado e fazer mudança”, declarou Pivetta, em referência ao fato de que ambos foram aliados de Taques na eleição passada.

Mauro fez contraponto às declarações de Taques sobre corrupção, colocando no mesmo nível o governo do tucano e de Silval. “Nos últimos oito anos, Mato Grosso sofreu muito com gestões incompetentes e corruptas. Afundaram nosso Estado em dívidas e mancharam nossa história com escândalos de corrupção. Chegou a hora de virar essa página”, afirmou, enquanto eram exibidas imagens de manchetes negativas do governo de Taques.

O programa exibiu depoimentos de cidadãos pedindo mudanças, imagens da convenção que confirmou Mauro como candidato e contou sua história.

 

O programa de Wellington Fagundes (PR) foi o mais conceitual, apresentando o candidato como alguém que vai “cuidar” e “respeitar” as pessoas. Ele se apeesentou como alternativa a Taques e destacou sua história de vida. O programa começou mostrando imagens de lugares e vazios, afirmando que as pessoas não são vistas pelo atual governo, o que acabou sendo um contraponto ao final do programa do tucano.

“O Estado é feito de pessoas e elas precisam sempre estar em primeiro lugar. A população se sente abandonada e quero ser governador para cuidar das pessoas”, afirmou o candidato.

O programa contou a trajetória de Wellington, nascido em Rondonópolis, em família humilde, e eleito deputado federal e senador, e exibiu imagens de um ato político em que ele conta sua história. No final, foi exibido um clipe com o jingle da campanha.

 

O candidato Moisés Franz (Psol) prometeu renovação política, transparência e combater a corrupção, em seus 15 segundos de programa.

Arthur Nogueira (Rede), em seus 12 segundos, disse que é policial rodoviário federal e convidou a população a conhecer sua história nas redes sociais.

O horário eleitoral gratuito teve início nesta sexta-feira (31), com os programas dos candidatos ao Senado, ao governo e à Assembleia Legislativa. Essas candidaturas serão exibidas às segundas, quartas e sextas. Os programas dos candidatos a presidente da República e a deputado federal são exibidos às terças, quintas e sábados. A propaganda no rádio e na TV vai até 4 de outubro, três dias antes do primeiro turno das eleições, que será no dia 7.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEm três horas, cinco carros são apreendidos e 21 multas aplicadas nas proximidades da Unic
Próximo artigoGoverno aumenta para R$ 1.006 previsão para salário mínimo em 2019