Em Plenário: quatorze deputados derrubam veto parcial do governo

Ednilson Aguiar/O Livre

 Assembleia Legislativa

A Assembleia Legislativa, durante sessão extraordinária nesta quarta-feira (13), derrubou por 14 votos o veto parcial 15/2018 do governador Pedro Taques (PSDB) ao projeto de lei 425/2017 que dispõe sobre o Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar e de Pequeno Porte – SUSAF-MT. Constam na pauta da Ordem do Dia mais 18 vetos para serem apreciados em Plenário.

Novo líder – O presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (PSB), leu um oficio encaminhado pelo governador Pedro Taques (PSDB) confirmando o nome do deputado Dr. Leonardo (SD) como o novo líder do Executivo na Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Leonardo substitui Dilmar Dal Bosco (DEM) que deixou, após três anos, a liderança na noite desta terça-feira (13).

Recursos do Fethab – O deputado Oscar Bezerra (PSB) fez um apelo ao governo do estado para que mantenha o acordo feito com a Assembleia Legislativa e os produtores rurais mato-grossenses para a aplicação de 100% dos recursos arrecadados pelo Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab) nos investimentos em obras de infraestrutura. Bezerra alertou que o governo está retendo 30% do valor arrecadado em função da cobrança da Desvinculação de Receitas da União (DRU).

“O governo não está priorizando o acordo fechado com o setor produtivo. Os recursos que entrarem do Fethab cobrem apenas os atrasados. Não terá recursos financeiros para licitar novas obras. É preciso que o governo cumpra com o compromisso de aplicar os 100% do Fethab. O dinheiro retido da DRU chega à casa dos R$ 130 milhões. Esse é um recurso que não será revertido aos produtores rurais”, disse Bezerra.

Previdência – O deputado José Domingos Fraga (PSD) afirmou que foi coerente a articulação da Assembleia Legislativa e do Tribunal de Justiça de o governo do estado retirar de pauta a elevação da alíquota de 11% para 14% da previdência dos servidores públicos do Estado. Segundo ele, o Executivo não sabe quantos são os beneficiários e os contribuintes do MTPrev.

“A situação da previdência é gravíssima. O governo do Estado retirou em 2017, da Fonte-100, cerca de R$ 997 milhões para custear a previdência. Para 2018, a previsão é de o governo usar da Fonte o montante de R$ 1,3 bilhão. Esse recurso fará falta para investimentos em obras de infraestrutura em todo o estado”, explicou Zé Domingos Fraga.

Durante a sessão extraordinária, além de os deputados derrubarem o veto 15/2018, o Parlamento aprovou 14 proposições (em primeira e segunda votação). Os deputados devem, durante sessão vespertina desta quarta-feira (14), votar outros 18 vetos colocados à apreciação na Ordem do Dia da manhã de hoje (14), mas que não foram deliberados.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMédica desiste de eutanásia e vai entregar corpo para estudo: “Não quero morrer em vão”
Próximo artigoDois mil produtores participam das primeiras etapas do Acrimat em Ação