Em noite de emoções, Cuiabá coroa sua Miss Plus Size 2019

Mais de 40 mulheres concorreram ao título para representar a capital

A noite de quinta-feira (12) foi de muita ansiedade e emoção para as 47 meninas que concorreram ao Miss Cuiabá Plus Size 2019.

Diante dos jurados, as candidatas desfilaram em trajes de banho, casual e, por fim, o traje de gala, seguindo todos os rituais do tradicional concurso de miss.

Quem também esteve presente foi a Miss Brasil Plus Size 2018, Ana Clara Kowalewski, de 21 anos e natural de Paranatinga-MT. Ana, que assistia vídeos no YouTube para aprender como vencer um concurso de Miss, falou dos conselhos que deu às que concorriam a coroa 2019.

“Tive um bate-papo com todas, explicando a importância do evento. Mostrar a quebra dos padrões de beleza só encoraja outras tantas mulheres a se sentirem bonitas e empoderadas” disse.

A miss também revelou as inseguranças de muitas diante da passarela. “Me perguntaram se deveriam ou não usar cinta e outros truques para disfarçar a gordurinha. Mas a ideia é o contrário, é se aceitarem como são”.

A classificação foi dividida entre Top 20 e afunilando para TopTen e Top Five. Suellen Pessetto, que ficou entre as cinco finalistas, falou diante dos jurados sobre o amor-próprio e da responsabilidade de passar a mensagem de autoestima para outras mulheres.

“Por ser um concurso Plus, carregar a faixa é ter o poder de influenciar meninas que não se aceitam de forma positiva”, enfatizou.

As vencedoras foram Mayara Strobel, em primeiro lugar, Jéssica Maciel em segundo e Agatha Vargas em terceiro.

“Hoje é um dia único para mim e vou honrar essa coroa, lutando para levar o título de Miss Mato Grosso Plus Size”, contou Mayara, que irá concorrer ao título estadual em novembro deste ano.

Fugindo da ideia sobre apologia à obesidade e celebrando as curvas femininas, o idealizador Rodrigo Gomes comemorou o sucesso do evento e sobre como irá instruir a nova miss para a disputa estadual.

“Estamos em uma era do politicamente correto. E lidar com a diversidade, seja ela opção sexual, religiosa, ou pelo simples fato de se achar gostosa sendo gordinha, ainda parece proibido. Ainda temos muito trabalho pela frente. A Mayara irá carregar não só a faixa, mas a responsabilidade de passar a mensagem do empoderamento”, finalizou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAssembleia de MT contrata empresa investigada pelo MPE e TCE
Próximo artigoKeanu Reeves vai estrelar documentário sobre dublês

O LIVRE ADS