Em noite de emoções, Cuiabá coroa sua Miss Plus Size 2019

Mais de 40 mulheres concorreram ao título para representar a capital

A noite de quinta-feira (12) foi de muita ansiedade e emoção para as 47 meninas que concorreram ao Miss Cuiabá Plus Size 2019.

Diante dos jurados, as candidatas desfilaram em trajes de banho, casual e, por fim, o traje de gala, seguindo todos os rituais do tradicional concurso de miss.

Quem também esteve presente foi a Miss Brasil Plus Size 2018, Ana Clara Kowalewski, de 21 anos e natural de Paranatinga-MT. Ana, que assistia vídeos no YouTube para aprender como vencer um concurso de Miss, falou dos conselhos que deu às que concorriam a coroa 2019.

“Tive um bate-papo com todas, explicando a importância do evento. Mostrar a quebra dos padrões de beleza só encoraja outras tantas mulheres a se sentirem bonitas e empoderadas” disse.

A miss também revelou as inseguranças de muitas diante da passarela. “Me perguntaram se deveriam ou não usar cinta e outros truques para disfarçar a gordurinha. Mas a ideia é o contrário, é se aceitarem como são”.

A classificação foi dividida entre Top 20 e afunilando para TopTen e Top Five. Suellen Pessetto, que ficou entre as cinco finalistas, falou diante dos jurados sobre o amor-próprio e da responsabilidade de passar a mensagem de autoestima para outras mulheres.

“Por ser um concurso Plus, carregar a faixa é ter o poder de influenciar meninas que não se aceitam de forma positiva”, enfatizou.

As vencedoras foram Mayara Strobel, em primeiro lugar, Jéssica Maciel em segundo e Agatha Vargas em terceiro.

“Hoje é um dia único para mim e vou honrar essa coroa, lutando para levar o título de Miss Mato Grosso Plus Size”, contou Mayara, que irá concorrer ao título estadual em novembro deste ano.

Fugindo da ideia sobre apologia à obesidade e celebrando as curvas femininas, o idealizador Rodrigo Gomes comemorou o sucesso do evento e sobre como irá instruir a nova miss para a disputa estadual.

“Estamos em uma era do politicamente correto. E lidar com a diversidade, seja ela opção sexual, religiosa, ou pelo simples fato de se achar gostosa sendo gordinha, ainda parece proibido. Ainda temos muito trabalho pela frente. A Mayara irá carregar não só a faixa, mas a responsabilidade de passar a mensagem do empoderamento”, finalizou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.