Em meio a protesto e gás de pimenta, deputados aprovam restrição da RGA e novo Fethab

Os dois projetos que fazem parte do pacote fiscal do Governo Mauro Mendes

(Ednilson Aguiar/O Livre)

Em meio a protesto de servidores públicos, que chegaram a jogar gás de pimenta nos corredores da Assembleia Legislativa de Mato Grosso nesta quarta-feira (16), os deputados estaduais aprovaram, em primeira votação, dois projetos que fazem parte do pacote fiscal do Governo Mauro Mendes (DEM): a reformulação do Fundo de Transporte e Habitação (Fethab) e a restrição da Revisão Geral Anual (RGA).

Janaina Riva (MDB) e Valdir Barranco (PT) chegaram a pedir vista dos projeto da RGA, mas o presidente Eduardo Botelho (DEM) negou, sob o argumento de que a matéria tramita em regime de urgência. A mensagem da revisão foi aprovada por 14 votos a 6 e o novo Fethab por unanimidade. Ambas ainda precisam passar pela segunda votação.

Questionado sobre a pressa em aprovar as matérias, Botelho citou como exemplo a situação da Segurança Pública do Estado, que está com viaturas paradas e o pagamento das marmitas dos presídios atrasado há seis meses – e disse estar seguindo o regimento interno da Casa.

“Podemos continuar discutindo por longo tempo? Já perdemos R$ 50 milhões do Fethab esse mês. O problema do Estado é grave. Projetos em regime de urgência têm seus trâmites e eu estou seguindo. Cumpri minha missão como presidente”.

Outros dois projetos que integram o pacote fiscal do governo, sendo eles a proposta de reforma administrativa e de criação da Lei de Responsabilidade Fiscal do Estado, também entraram na pauta da sessão noturna desta quarta, mas tiveram a votação adiada por pedidos de vista.

Os projetos aprovados

A reformulação do Fundo de Transporte e Habitação (Fethab) unifica os Fethab 1 e 2 e torna permanente o fundo resultante. Além disso, a proposta prevê a taxação do milho, da cana-de-açúcar, do gás natural e das usinas hidrelétricas e aumenta a cobrança de impostos sobre a soja, o algodão e o boi vivo destinado ao abate e à venda para outros Estados.

Também impõe cobrança sobre a exportação de todas as commodities anteriores, além da exportação da carne e dos miúdos comestíveis. A expectativa é arrecadar R$ 700 milhões a mais por ano.

Já o projeto que regulamenta a Revisão Geral Anual (RGA) cria regras mais rígidas para definir se o Estado pode ou não repor a inflação no salário dos servidores estaduais.

Audiências Públicas

Embora duas matérias já tenham sido aprovadas em primeira votação, os assuntos serão tema de audiências públicas na Assembleia Legislativa. Nesta quinta-feira (17) será debatido o projeto do Fethab e na sexta-feira (18) será a vez da proposta de restrição da RGA e de extinção da Empaer (Empresa Mato-grossense de Pesquisa e Extensão Rural).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCom aval de Paulo Guedes, governador de Mato Grosso decreta calamidade financeira
Próximo artigoSindicato da Empaer critica extinção e defende que governo crie fundação com novo CNPJ

O LIVRE ADS