Em live, Papa condena teologia da libertação

O papa afirmou que a doutrina de esquerda é um "desvio da fé" e uma tentativa populista dentro da Igreja

O papa Francisco condenou a vertente de pensamento marxista dentro da igreja católica conhecida como “Teologia da Libertação”. Em uma live transmitida na semana passada pelo Vaticano, o pontífice condenou o pensamento comunista.

De acordo com o santo padre, a teologia da libertação é uma ideologização que está em desacordo com a Igreja de Cristo.

“Não tinham a menor ideia. Era a ideologização do que é um caminho telúrico latino-americano. E eu digo telúrico porque a espiritualidade latino-americana está ligada à terra, não pode ser separada dela”, acrescentou Francisco.

O papa ainda garantiu que a doutrina da teologia da libertação é um “desvio” e uma forma de fazer a Igreja parecer populista.

Teologia da libertação

A corrente da Teologia da Libertação surgiu na década de 1970 e é considerada uma filosofia política e não religiosa.

O pensamento é criticado pela sua aproximação com o marxismo que perseguiu a Igreja em todos os países que teve sucesso na política.

LEIA TAMBÉM

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMacri afirma que empresas e profissionais qualificados estão saindo da Argentina
Próximo artigoSuspeitos de estupros de vulneráveis são presos pela Polícia Civil