Em 5 anos, Reverte visa recuperar um milhão de hectares degradados no cerrado

Syngenta e The Nature Conservancy desenvolveram projeto para auxiliar a produção sustentável

Foto: Assessoria

A Syngenta e a The Nature Conservancy (TNC), maior organização de conservação ambiental do mundo, anunciaram nessa terça-feira (22), o lançamento de uma iniciativa para auxiliar a expansão sustentável da agricultura no Cerrado.

Por meio de uma solução global, que envolve melhores práticas agronômicas, ferramentas financeiras e protocolos sobre o uso de insumos, o Reverte – nome dado a iniciativa – vai ajudar agricultores e pecuaristas a trazerem pastos degradados de volta ao cultivo. O objetivo é aumentar a produtividade já no curto prazo para permitir o retorno sobre o investimento e evitar mais degradação.

Nos primeiros cinco anos de implementação, há o potencial de alcançar um milhão de hectares com a combinação da tecnologia da Syngenta com outros sistemas de produção, como sistemas integrados e rotações. Com avanços tecnológicos, é possível aumentar esse número, viabilizando ainda mais a expansão sustentável da agricultura no Brasil.

Hoje, cerca de 18 milhões de hectares de áreas do Cerrado encontram-se em algum estágio de degradação – o que significa que não produzem o seu potencial e não oferecem os serviços ecossistêmicos em sua plenitude. O Brasil incluiu na sua agenda de clima compromissos como a recuperação de pastagens degradadas e a ampliação da área com sistemas integrados de produção, que juntos somam 20 milhões de hectares até 2030.

Segundo André Franco, líder do negócio de Sementes da Syngenta no Brasil, “o modelo de financiamento que a empresa vai lançar é de fato um avanço disruptivo, já que hoje a barreira mais significativa encontrada pelos agricultores para reverter pastos degradados é a indisponibilidade de recursos. Além disso, traremos sementes adequadas para obter os melhores resultados nessas condições de solo”. Já no primeiro ano de implementação, estima-se um alcance de 30 mil hectares em Mato Grosso, Goiás e Maranhão.

O Reverte permite aos agricultores expandirem a produção em áreas abertas, mas sem cultivo pela degradação do solo. A iniciativa pretende demonstrar a viabilidade econômica de recuperar terras em vez de abrir novas áreas para cultivo, e com isso contribuir para a preservação da vegetação nativa.

“Recuperar terras resulta em uma agricultura regenerativa e resiliente frente às questões climáticas, como o sequestro de carbono, recuperação do solo e eficiência hídrica”, destaca Giovana Baggio, Gerente de Agricultura Sustentável da TNC no Brasil. “Tivemos avanços significativos na área, mas é preciso a articulação entre diversos atores para o processo ganhar escala nos próximos anos”, completa.

A iniciativa faz parte do anúncio global da Syngenta de que a empresa destinará US$ 2 bilhões nos próximos cinco anos em iniciativas específicas de sustentabilidade
para ajudar os agricultores a enfrentar às mudanças climáticas.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS