Em 2018, cinco secretários devem deixar o Governo Taques para disputar eleição

Ednilson Aguiar/O Livre

sec. de Cidade Wilson Santos

Governador Pedro Taques e Wilson Santos, que é deputado estadual: ambos devem tentar se reeleger em outubro de 2018

A reforma do secretariado do governo Pedro Taques (PSDB) iniciada neste fim de ano deve ter uma nova etapa em março de 2018, quando os integrantes do primeiro escalão que desejam ser candidatos nas próximas eleições devem deixar os cargos. Em 7 de abril de encerra o prazo de desincompatibilização para os secretários que querem disputar uma cadeira de deputado estadual ou federal. Com isso, o primeiro escalão do governo deve sofrer pelo menos cinco baixas.

Dois deles são deputados estaduais licenciados e já anunciaram a intenção de voltar à Assembleia Legislativa para concorrer à reeleição: o secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi (PSB), e o secretário de Cidades, Wilson Santos (PSDB).

O tucano integra o staff desde novembro de 2016, depois de perder o segundo turno das eleições para a Prefeitura de Cuiabá. Max Russi, por sua vez, está no governo desde janeiro deste ano, quando se tornou secretário de Trabalho e Assistência Social (Setas). Em outubro, ele assumiu a chefia da Casa Civil.

O secretário de Agricultura Familiar, Suelme Evangelista (PSB), é outro que está de olho em uma cadeira de deputado estadual. Com o retorno de Valtenir Pereira ao comando do PSB e a guinada da sigla para a oposição, ele deve se desfiliar e aderir a um partido mais próximo do governador.

Outro nome dado como certo na disputa eleitoral é o do secretário de Educação, Marco Marrafon. Integrante do movimento Agora!, ele estuda se filiar ao PPS e concorrer a deputado federal. Na semana passada, Marrafon foi selecionado pelo programa RenovaBR, que foca a sua atuação na formação de líderes da chamada “nova política”.

O secretário de Infraestrutura e Logística (Sinfra), Marcelo Duarte, disse que já decidiu deixar a pasta até abril. Porém, não definiu se será candidato. Ele pretende participar da campanha à reeleição de Taques de alguma forma, seja como candidato a deputado ou nos bastidores, em alguma coordenação.

Reforma

No mês de dezembro, cinco secretarias tiveram mudanças. O maestro Leandro Carvalho deixou a Secretaria de Cultura e o titular do Gabinete de Comunicação (Gcom), Kleber Lima, assume em seu lugar. O adjunto Marcy Monteiro fica no comando do Gcom.

A saída de Gustavo de Oliveira da Secretaria de Fazenda (Sefaz) levou a outro remanejamento, e o procurador Rogério Gallo assume a pasta. Com a saída de Gallo, a Procuradoria-Geral do Estado (PGE) passa a ser tocada pela adjunta Gabriela Novis Neves Pereira Lima.

O vice-governador Carlos Fávaro (PSD) deixou a Secretaria de Meio Ambiente (Sema), conforme havia sido anunciado no mês passado, e o servidor André Torres Baby agora comanda a pasta.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorTrês deputados de MT gastaram quase R$ 70 mil em viagem a China
Próximo artigoConfira os deputados federais que mais faltaram em 2017

O LIVRE ADS