Eleições MT 2018: saiba o que é permitido e o que é proibido no dia da votação

O LIVRE separou algumas situações que costumam causar dúvidas aos cidadãos

No dia 7 de outubro, os brasileiros elegem os novos senadores e deputados, que iniciarão o mandato em 2019, e votarão também para governador e presidente, que podem ser eleitos no mesmo dia ou levar a decisão para o segundo turno, marcado para o dia 28.

Mas, afinal, você sabe o que é permitido e proibido ao eleitor no dia da votação de cada turno das eleições?

O LIVRE separou algumas situações que costumam causar dúvidas aos cidadãos. Confira!

PERMITIDO

Manifestação de apoio

É permitida a manifestação de apoio a determinado candidato de forma individual e silenciosa no dia da eleição.

O eleitor pode levar, por exemplo, bandeira, broches, preguinhas, adesivos na camisa, carro adesivado. Vale quase tudo, desde que ele esteja sozinho.

Camisas e bonés com propaganda também são permitidos, mas devem ter sido feitos pelo próprio eleitor. Se forem oficiais, um juiz eleitoral pode entender como propaganda distribuída pelo partido ou candidato, o que é ilegal.

A “cola”

O eleitor não só pode como deve fazer uma “cola” com os números dos candidatos em quem pretende votar, afinal são cinco cargos em votação, seis votos e um total de 19 dígitos a serem memorizados.

Os votos serão depositados na seguinte ordem:

1º – Deputado federal – 0000

2º – Deputado estadual – 00000

3º – Primeiro voto de senador – 000

4º – Segundo voto de senador – 000

5º – Governador – 00

6º – Presidente – 00

A roupa

O eleitor pode votar de bermuda, chinelo, e até mesmo descalço, mas é proibido votar sem camiseta ou com traje de banho, como sunga, biquíni ou maiô.

Auxílio para votar

O eleitor que for portador de algum tipo de deficiência pode contar com ajuda de outra pessoa para votar, mesmo que não tenha solicitado o auxílio antecipadamente à Justiça Eleitoral.

PROIBIDO

Boca de urna

A campanha eleitoral se encerra na véspera das eleições. Portanto, no dia da votação, é totalmente proibido influenciar os eleitores.

O eleitor pode manifestar seu apoio pessoal a determinado candidato, mas não em grupo. Qualquer aglomeração que demonstre apoio a algum candidato pode ser entendida como boca de urna. Na dúvida, é melhor não arriscar.

Se comprovada a boca de urna, o eleitor pode ser processado criminalmente e condenado. Além disso, para evitar reincidência, o eleitor é levado para o chamado “cadeião”, sendo liberado somente a partir das 17h, quando se encerra a votação.

Na cabine de votação

O eleitor não pode levar nada, além da roupa do corpo e da “cola”, para a cabine de votação. Não é permitido o uso de celular, máquina fotográfica, filmadora ou outro aparelho similar.

Se o eleitor levar celular e bandeira para o local de votação, por exemplo, deverá deixá-los com os mesários enquanto vota.

Amplificadores de som

É proibida a utilização de amplificadores de som, pois caracteriza campanha eleitoral

“Derrame de santinhos”

A sujeira na porta das escolas, denominada derrame de santinhos pela Justiça Eleitoral, também é considerada infração, passível de multa.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorReceita libera consulta do quinto lote de restituição do IRPF 2018
Próximo artigoMostra de Cinema Negro de Mato Grosso está com inscrições abertas para realizadores