Eleições 2020: oito parlamentares de MT querem trocar de mandato

Metade dos parlamentares que querem disputar nova eleição são novatos

(Foto: Edinilson Aguiar/ Agência Câmara Notícias/ Arquivo/ Divulgação/ arte: Felipe Martins - O Livre)

Se o cenário que se desenha nos bastidores político se concretizar, pelo menos oito deputados entre federais e estaduais deverão se afastar nos próximos meses para concorrer às eleições municipais e suplementar ao Senado, neste ano, em Mato Grosso.

Alguns deles mau esquentaram a cadeira de deputado e já querem buscar outros horizontes na política. Em comum, os deputados que pretendem disputar as eleições estão em condição confortável, pois caso percam nas urnas, podem voltar a exercer seus mandatos sem nenhum impedimento.

Para o cargo de prefeito, três deputados estaduais e dois federais se articulam para disputar neste ano. No caso do parlamento estadual, todos são candidatos de primeiro mandato.

(Foto: Divulgação/Justiça Eleitoral)

Thiago Silva (MDB) é pré-candidato a prefeito em Rondonópolis, onde foi vereador por dois mandatos antes de concorrer ao cargo que ocupa no Poder Legislativo estadual. Eleito com 19.339 votos, o parlamentar ganhou relevância política dentro do partido e recebe todas as “bênçãos” do veterano Carlos Bezerra – que já chegou a declarar que vê em Thiago seu sucessor político.

Também pré-candidato a prefeito de Rondonópolis, o deputado Delegado Claudinei (PSL) quer abandonar seu primeiro mandato como deputado estadual – e primeiro mandato na vida – para o qual foi eleito com 29.988 votos para chefiar o Poder Executivo de Rondonópolis.

Dentre os novatos que querem deixar de lado a carreira legislativa, está o advogado Ulysses Moraes (PSL) que recebeu 18.721 votos em 2018, e que entrou na ALMT com o discurso de combate aos penduricalhos que os deputados têm direito como verba indenizatória de R$ 65 mil.

Federais na disputa

Na Câmara Federal, o deputado Juarez Costa (MDB) também disputará eleições municipais este ano. Ele vai concorrer ao cargo de prefeito de Sinop, cidade que já administrou por dois mandatos.

Entre os deputados federais, Emanuel Pinheiro Neto (PTB), o Emanuelzinho também está sendo cotado para disputar a Prefeitura de Várzea Grande. Parlamentar de primeiro mandato, o filho do prefeito de Cuiabá, recebeu 76.781 votos em 2018.

Rumo ao Senado

Dentre os parlamentares estaduais, dois vão disputar a eleição suplementar ao Senado. Valdir Barranco (PT) foi eleito com 21.970 votos para seu segundo mandato como deputado estadual, após ter sido prefeito de Nova Bandeirantes.

Elizeu Nascimento (DC) era vereador por Cuiabá quando decidiu disputar vaga na ALMT pela primeira vez em 2014. Chegou a assumir a titularidade da vaga por 45 dias. Em 2016 voltou à Câmara Municipal de Cuiabá para exercer mais um mandato como vereador e saiu vitorioso nas eleições de 2018, quando recebeu 21.347 votos. Considerado um vereador de base popular e de direita, Elizeu será candidato ao Senado.

(Foto: Rodolfo Stuckert)

Quem também vai pleitear a vaga deixada pela ex-senadora Selma Arruda (Podemos) é seu correligionário de partido, o deputado federal José Medeiros. Medeiros já esteve no senado após assumir o lugar de Pedro Taques, que em 2014 foi eleito governador de Mato Grosso.

Eleito deputado federal com 82.528 votos, Medeiros desfruta da proximidade com o Palácio do Planalto. Entre 2016 e 2018, após Michel Temer (MDB) assumir a Presidência da República após impeachment de Dilma Rousseff (PT), Medeiros se tornou o vice-líder do Governo no Senado. Agora, no governo Bolsonaro, o parlamentar assume a mesma função na Câmara Federal.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorArena Pantanal: “filas são proporcionais ao fracasso na atenção básica”, afirma governador
Próximo artigoPai é preso acusado de estuprar a filha no dia do aniversário dela