Eike Batista é condenado a 11 anos de prisão por crimes contra a economia

A juíza também condenou o empresário a pagar uma multa de R$ 871 milhões

O empresário Eike Batista foi condenado pela 3ª Vara Criminal Federal do Rio de Janeiro a uma pena de 11 anos e 8 meses de prisão por crimes contra o mercado de capitais.

A juíza Rosália Monteiro Figueira ainda condenou o empresário a pagar uma multa de R$ 871 milhões pelos crimes de insider trading (uso de informação privilegiada) e de manipulação de mercado e, por consequência, da economia.

Em 2014, Eike foi acusado de ter lucrado com a venda de ações de sua empresa OGX, por meio de ocultação ao mercado de informações negativas sobre a companhia.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), Eike Batista ainda teria simulado a injeção de até US$ 1 bilhão na OGX para atrair investidores, incorrendo no crime de manipulação de mercado.

Na sentença, a juíza Rosália diz que o empresário é “pessoa com larga experiência do mercado de capitais, influente no meio político e reconhecido internacionalmente no mundo dos negócios” e que “utilizou de modo nocivo esse conhecimento e prestígio a indigitada prática delituosa”.

O empresário responderá em liberdade ao processo, movido pelo MPF e pela Associação dos Investidores Minoritários.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVinde & Vede online
Próximo artigoComércio fecha 2020 no positivo sustentado por produtos para a casa