É uma piada!

O histórico da Câmara dos Vereadores de Cuiabá, diferente do que quer fazer acreditar a atual direção, fez por merecer o título de "Casa dos Horrores"

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O Presidente da Câmara de Vereadores de Cuiabá quer impedir a mídia de chamá-la pelo apelido de “Casa dos Horrores”. A preocupação de Justino Malheiros visa garantir a boa reputação do parlamento municipal. O problema, no entanto, é que não há o que se quer preservar. De acordo com o historiador Paulo Pitaluga, a primeira fraude eleitoral da história de Mato Grosso deu-se na Câmara de Cuiabá em 1728, o que obrigou a mesa diretora a anular o certame.

O histórico a partir daí não conta ponto a favor da Câmara. A ex-presidente Chica Nunes foi processada por improbidade, acusada de ter fraudado licitações. O prejuízo foi de R$ 6 milhões aos cofres públicos. Já o presidente Lutero Ponce foi acusado de desviar R$ 3 milhões por meio do esquema de licitações, além de ter sido cassado por comprar 11 toneladas de biscoito, por exemplo.

Já o ex-presidente João Emanuel Moreira Lima já foi condenado por corrupção, ao fazer um esquema com gráficas a fim de entregar material que nunca existiu. Noutro golpe, ele se fez passar por intermediário, falando até mandarim. Hoje, o ex-presidente da Câmara dos Vereadores está preso no Carumbé.

[featured_paragraph]E o histórico não acaba por aí. O vereador Ralf Leite foi cassado por quebra de decoro parlamentar ao se ver flagrado pela polícia em companhia de um travesti em Várzea Grande. O ex-presidente Júlio Pinheiro foi investigado por ter aprovado três leis orçamentárias sem qualquer votação, liberando R$ 360 milhões ao município de forma irregular. Antes de morrer, o vereador foi processado pelo pagamento ilegal de mais de R$ 1 milhão em verbas indenizatória aos outros colegas. Além de ser alvo das ações de improbidade, Pinheiro ainda ficou conhecido por agredir a própria mulher, ameaçando-a com um espeto de churrasco. A mulher desdisse o que ficou registrado na delegacia e o vereador acabou assumindo que era alcoólatra.[/featured_paragraph]

A grande maioria dos casos levou o Poder Judiciário a bloquear contas e bens dos vereadores envolvidos em sucessivos escândalos. São processos e condenações que desmerecem a imagem da Câmara Municipal de Cuiabá. Curiosamente, alguns processados, ao contrário de serem cassados, são eleitos presidentes da Casa. Talvez por isso a mídia tenha se acostumado ao apelido “Casa dos Horrores”, um centro de lástimas e anedotas como aquela última, do vereador Mário Nadaf, que apresentou o projeto “Pinto Feliz”, para obrigar a Secretaria Municipal de Saúde a comprar com dinheiro público estimulante sexual para os cuiabanos idosos ou impotentes.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

1 COMENTÁRIO

  1. Dr. Eduardo mahon, triste saber que representantes eleitos a cada dia desmerecem respeito por autoridades. Chica Nunes hoje assessora de deputado que que não conclui obra, ou seja, permanecem na mesma vida de corrupção.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorCarlos Fávaro acusa Taques de não cumprir promessas feitas na campanha passada
Próximo artigoMulher é surpreendida por três criminosos ao chegar em casa, marido reage e morre baleado