E-commerce é o futuro? Listamos 4 maneiras de conectar a loja física à digital

Até agora, fomos obrigados a migrar para a internet. Mas será que isso vai se manter no pós-pandemia?

(Foto: Ednilson Aguiar/O Livre)

A pandemia do novo coronavírus levou consumidores e empresários para o mundo digital. Mas, embora as vendas online tenham aumentado consideravelmente, nas duas pontas ainda há quem enfrente dificuldades com esse nova forma de comércio.

Outro dilema que donos de lojas enfrentam é: se hoje a maior parte das vendas ocorre no digital, ainda vale a pena manter uma loja física?

LEIA TAMBÉM

Para tentar facilitar essa interação, Michael Klein, diretor global para Indústria e Marketing para Varejo, Turismo e Bens de Consumo da Adobe fez uma lista com quatro passos que o LIVRE reproduz aqui.

1. Descubra quais redes seu cliente acessa

De acordo com Klein, saber por onde seu cliente “navega” vai te ajudar a saber onde investir esforços e – quem sabe?! – dinheiro em propaganda.

Em seu artigo, ele cita o exemplo de marcas multinacionais, como a Nike, que passou a patrocinar shows ao vivo, e outra que investiram em propaganda no YouTube.

Promover lives de artistas não é para todo mundo, mas é relativamente fácil saber se seu público é mais do tipo que acessa o Instagram ou o Facebook ou, ainda, se prefere receber mensagens diretamente no WhatsApp.

2. Ofereça opções para todos

Tudo indica que muitos comportamentos que surgiram por conta da necessidade do distanciamento social vão se manter. E fazer compras online é um deles. Mesmo assim, na avaliação de Klein, é preciso oferecer opções a todos os públicos.

Enquanto algumas pessoas vão adorar conseguir fazer uma compra só com alguns cliques, ainda vai haver pessoas que preferem – ou, por serem de outras gerações, precisam de – uma interação com seres humanos.

Nem todo cliente está habituado com o mundo digital (Foto: Reprodução)

3. Seja claro e franco com o cliente

Uma das maiores dificuldades de quem compra pela internet é olhar para uma foto e não ter certeza se, na “vida real”, o produto vai ser mesmo daquele jeito. Então, investir em uma comunicação clara é mais que necessário.

Divulgar as avaliações que outros clientes já fizeram – de forma franca e honesta com os demais – é uma das dicas do especialista.

Klein sugere ainda que, mais do que tentar persuadir seu cliente a comprar, pode ser interessante ensiná-lo a como fazer isso pela internet. A relação de confiança pode ser a chave para fechar aquele negócio.

4. Se puder, invista em tecnologia

Ter uma loja online é relativamente fácil nos dias hoje, já investir em uma que proporcione uma experiência diferente para seus clientes, nem tanto.

Em seu artigo, Klein cita exemplos de empresas que permitem que seus clientes “experimentem” armações de óculos em realidade aumentada ou que “testem” determinados móveis nos espaços que têm em casa.

Pode ser um investimento alto e para decidir se vale a pena é preciso voltar à primeiro item dessa lista. Saber se sua clientela está completamente confortável ao mundo digital pode ser o fator determinante para, por exemplo, trocar a loja física enorme por uma menor, que faça sobrar dinheiro para uma online mais moderna.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorLucimar defende reabertura do comércio em VG e pedirá flexibilização a juiz
Próximo artigoCovid-19: estudo da UFMT aponta quando será o fim da pandemia