Doutor Bumbum tem registro profissional cassado

Decisão é do CRM de Goiás, mas vale para o território brasileiro

O médico Denis Cesar Barros Furtado, conhecido como “Doutor Bumbum”, teve o registro profissional cassado na segunda-feira (13). A decisão foi do  Conselho Regional de Medicina de Goiás (CRM-GO). O médico é acusado de matar a bancária cuiabana Lilian Calixto, de 46 anos, durante um procedimento estético no Rio de Janeiro.

Doutor Bumbum teve a prisão preventiva decretada pela Justiça do Rio de Janeiro, em julho de 2018, após a morte de Lilian. Ela realizou um procedimento no apartamento do médico, na Barra da Tijuca, passou mal e foi levada para um hospital no mesmo bairro, onde morreu. Apesar de clinicar no Rio, o registro do Conselho Regional de Medicina (CRM) do Doutor Bumbum só tinha validade em Brasília e Goiás.

O pedido inicial de cassação do exercício profissional foi feito pelo CRM do Distrito Federal e referendado pelo Conselho Federal de Medicina em 24 de abril. Com ele, todos os conselhos regionais onde o médico atuava são obrigados a publicar a decisão para deixar registrado que Denis Furtado perdeu o direito de exercer a medicina.

LEIA TAMBÉM:

Médico que operou cuiabana, “Doutor Bumbum”, não tinha autorização do CRM
Corpo de bancária é trazido do Rio e velório será nesta terça-feira
Médico que operou bancária responde a processo e tinha várias passagens pela polícia
Mesmo depois da morte de bancária, Dr. Bumbum mandou orçamentos via WhatsApp
Prisão do Dr Bumbum é “um alívio para a gente”, diz enteado de bancária morta

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorVídeos: Hospital São Matheus emite nota e desmente boatos de explosão
Próximo artigoSTJ julga hoje habeas corpus de Michel Temer

O LIVRE ADS