Dos casos confirmados de covid-19 em Cuiabá, maior parte é de mulheres

Tosse, febre, desconforto respiratório, dor de garganta e cefaleia são os sintomas mais relatados

Levantamento aponta maior incidência da doença em mulheres na faixa dos 40 anos (Pixabay)

O informe da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde revela que mulheres têm sido as mais infectadas pela covid-19 em Cuiabá.

Divulgado nesta segunda-feira (27), o documento que analisa cenário até 25 de abril, revela que dos 120 casos, 73 eram de mulheres (60,8%). Destas, 53,5% se declaram pretas ou pardas.

Vale ressaltar, o boletim da Secretaria de Estado de Saúde divulgado na tarde de segunda-feira (27) atualizou o número de casos de Cuiabá, que foi para 126 confirmados.

Informações que constam no mesmo documento divulgado pela Prefeitura de Cuiabá, um estudo de distribuição geográfica dos casos apontou aumento no número de bairros que têm moradores infectados: foi de 49 para 55.

Média de 43 anos

O estudo coordenado pelo Instituto de Saúde Coletiva e a Faculdade de Geografia da Universidade Federal de Mato Grosso, aponta ainda, que entre todos os casos, a média de idade dos infectados é de 43 anos. O mais novo tem 4 anos e o mais velho, 92.

Mas neste domingo (26), primeiro dia da nova semana epidemiológica e portanto, que ficou de fora da pesquisa, o homem de 92 anos não resistiu à doença. Morador do Rio de Janeiro, ele visitava familiares em Cuiabá.

De acordo com o informe epidemiológico, cerca de 72% dos casos se concentra no grupo de 30 a 59 anos e os idosos representaram 12,5% (15) dos casos.

Cerca de 70,3% dos casos tinham nível superior e profissionais da área da saúde representaram 19% dos casos confirmados.

Sintomas

Entre os moradores de Cuiabá que testaram positivo para a covid-19 os sintomas mais relatados foram tosse (77), febre (74), desconforto respiratório (45), dor de garganta (39) e cefaleia (36).

Em menor número de relatos, estão a diarreia (32), mialgia (31), dispneia (31), perda de paladar (16) e perda de olfato (12).

Cerca de 28% (33) dos casos referiram comorbidades isoladas ou associadas, entre elas prevaleceram doença cardiovascular crônica (15), diabetes mellitus (9), hipertensão arterial (6), imunodeficiência (4) e asma (4).

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDetran retoma atendimento presencial
Próximo artigoMulher é presa ao tentar sair de mercado com 11 peças de filé e cinco de picanha

O LIVRE ADS