Dono de empresa que controla estoque de remédios será ouvido em CPI

Contrato assinado pelo empresário Dirceu Luís Pedroso Júnior com a Prefeitura de Cuiabá é o foco da primeira etapa de investigação de CPI

(Foto: Reprodução/Assessoria Câmara de Cuiabá)

O empresário Dirceu Luís Pedroso Júnior, dono da Norge Pharma, será ouvido nesta sexta-feira (28) na CPI dos Medicamentos, da Câmara dos Vereadores de Cuiabá.  

O testemunho dele poderá esclarecer contradições entre as oitivas do ex-secretário de Saúde, Luiz Antônio Pôssas de Carvalho, e do coordenador de tecnologia da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Gilmar de Souza Cardoso. 

O coordenador disse na quarta-feira (26) que a SMS possuía um sistema administrativo suficiente para gerir o Centro de Distribuição de Medicamentos e Insumos (CDMIC), antes da contratação da Norge Pharma, e culpou a empresa pelo vencimento e perda de produtos. 

“Histórico de super compra”

Pôssas, ouvido no mesmo dia, afirmou que o município já tinha um “histórico de super compra” de medicamentos, com um excesso em R$ 50 milhões identificado durante sua gestão, e sugeriu que parte do problema passava por “relatórios incompletos” do CDMIC. 

O contrato da Norge é o foco desta primeira etapa de trabalhos da CPI. Membros da comissão têm questionado as pessoas ouvidas sobre a necessidade de a prefeitura ter negociado serviço acima de R$ 9 milhões para gerir a distribuição de medicamentos. 

O fato é que milhares de medicamentos e insumos vencidos foram descobertos durante fiscalização de vereadores.  

Hoje, além do empresário Dirceu Luís Pedroso Jurnior, deve ser ouvido o ex-secretário de governo da Cuiabá, Lincon Tadeu Sardinha Costa. Sardinha fez parte da equipe do prefeito Emanuel Pinheiro até setembro de 2020. 

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEnergisa é multada em R$ 3 milhões por cortes de energia durante a pandemia
Próximo artigoBebê é diagnosticada com doença sexual e Conselho Tutelar suspeita de estupro