Dois ex-presidentes derrotados

Justino Malheiros e Misael Galvão foram ferrenhos defensores de Emanuel Pinheiro e estão sem mandatos a partir de 2021

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

Se antes a chefia de Poderes conferia prestígio e era sinônimo de ser imbatível nas urnas, essa tese foi fracassada em Cuiabá nas eleições de 2020.

Os dois últimos vereadores que presidiram a Câmara de Cuiabá viram o capital político derreter em quatro anos e estarão sem mandato a partir de 2021.

Trata-se de Justino Malheiros (PV) e Misael Galvão (PTB).

O primeiro, filho do ex-deputado estadual João Malheiros, foi eleito em 2016 com 2.917 votos e agora só obteve 1.257 votos.

O segundo, que obteve 5.095 votos em 2016, agora somou 1.749.

Além da derrota nas urnas, Misael Galvão e Justino Malheiros compartilham de outra situação: ambos foram defensores intransigentes do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) e asseguraram total blindagem no episódio conhecido como “CPI do Paletó”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEx-secretário vira réu por suspeita de fraude em obra de R$ 9,4 milhões
Próximo artigoUm dia após eleições, Doria anuncia novas restrições devido ao avanço da pandemia