Dívida de R$ 1 milhão: oficiais de Justiça apreendem bens de José Riva

Ex-deputado estadual emitiu, no primeiro trimestre de 2020, três cheques sem fundo no valor de R$ 820 mil. Apropriação de bens acumula juros e multa.

Foto: Ednilson Aguiar/O Livre

Oficiais de Justiça cumpriram na manhã desta quinta-feira (1º) um mandado autorizado pela Justiça na casa do ex-presidente da Assembleia Legislativa, ex-deputado estadual José Riva, localizada no bairro Santa Rosa em Cuiabá, para confiscar joias, dinheiro em espécie e outros bens móveis.

A busca foi autorizada pelo juiz da 3ª Vara Cível de Cuiabá, Luiz Octávio Saboia Ribeiro, em decorrência de uma ação de cobrança movida pelo empresário Francisco Carlos Berres, popularmente conhecido como Chico Badotti, dono de uma factoring em Cuiabá, que recebeu três cheques sem fundo do ex-deputado José Riva que somam o valor de R$ 895 mil. Em valores atualizados, a quantia ultrapassa R$ 1 milhão.

A decisão judicial foi autorizada no dia 28 de junho e autoriza a busca de patrimônio para pagamento da dívida, desde que seja respeitada a preservação da titularidade do imóvel e equipamentos eletrônicos de uso cotidiano e massivo.

Cofres e joias

Ainda foi autorizado pelo magistrado que os oficiais de Justiça estão autorizados a providenciar o arrombamento de portas e cofres, se não lhe for autorizado o acesso, permitindo, ainda, se for preciso, a solicitação de apoio da força policial para o cumprimento.

Os valores deverão ser depositados na Conta Única do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). E eventuais joias e pedras preciosas encontradas deverão ser destinadas à Caixa Econômica Federal (CEF).

A ação de execução de título extrajudicial do empresário Chico Badotti contra o ex-deputado estadual José Riva tramita na Justiça desde 2020. A reportagem de O Livre tentou contato com o ex-deputado José Riva e seus advogados, mas não obteve êxito.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorInelegível por oito anos
Próximo artigoVolta às aulas só com vacina: “por que professores são diferentes de outros servidores?”