Disrupção do mercado de saúde impacta planejamento da Unimed Cuiabá para 2020

    Empresa planeja novos investimentos para verticalizar os atendimentos hospitalar e laboratorial

    A disrupção do mercado da saúde em nível nacional e regional vem sendo um dos principais temas de discussão nos fóruns e encontros da Unimed Cuiabá nos últimos meses. As movimentações das concorrentes estão cada vez mais intensas, principalmente, graças a injeção de recursos do capital estrangeiro, e Cuiabá sofre os impactos que geram importantes mudanças no cenário. A Unimed Cuiabá planeja novos investimentos para verticalizar os atendimentos hospitalar e laboratorial.

    Segundo o presidente, Dr. Rubens Carlos de Oliveira Junior, é o momento de acelerar as ações que visem corresponder à importância da operadora no mercado cuiabano. “Há dois anos, um investimento em recursos próprios era impensável para a Unimed Cuiabá, e nós mostramos que a Cooperativa tem condições e responsabilidade para isso. Este ano avançamos bastante na discussão do Fundo de Investimentos em Participações (FIP). No entanto, nos meses em que discutíamos, o cenário da Saúde privada em Mato Grosso mudou completamente”, comentou o presidente, referindo-se às vendas de grandes unidades de saúde para grupos de outros estados.

    Recentemente, o Laboratório Carlos Chagas, um dos maiores de Mato Grosso, foi vendido para a Rede Sabin, com sede em São Paulo e atuação em 11 estados e no Distrito Federal. A venda envolveu cifras na ordem dos R$ 50 milhões. Em novembro, o Hospital São Matheus milhões pelo Grupo Meridional, o maior grupo de Saúde do Espírito Santo e o quinto maior do país, que recebe aporte do Fundo de Investimentos norte-americano H.I.G. Capital.

    Já o Hospital Santa Rosa está em negociação com o Grupo Santa, de Brasília, que possui seis unidades hospitalares no Distrito Federal. Segundo fontes, as negociações estão bem avançadas e a previsão é que o acordo deve ser assinado até o fim deste ano. “Por isso, agora é hora de começarmos a pensar em ações mais concretas, pois o mercado exige respostas rápidas e esta movimentação que estamos vendo em Cuiabá é prova disso” reforçou o presidente.

    Use este espaço apenas para a comunicação de erros





    Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

    DEIXE SEU COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Artigo anteriorBoa notícia para Várzea Grande: Casas do Residencial Canelas serão entregues ainda em 2019
    Próximo artigoAgroStart evolui para ser plataforma de inovação da BASF

    O LIVRE ADS