Diretório do PSB reage a acordo para tornar Max Russi presidente

Valtenir fechou acordo com MDB e deixaria partido sob o comando do aliado Cleber Ávila

(Foto: Ednilson Aguiar)

Integrantes do diretório do PSB de Mato Grosso, eleito em setembro de 2017, reagiram à notícia de que a direção nacional decidiu dissolver o diretório regional e nomear o deputado estadual Max Russi como novo presidente, em substituição ao deputado federal Valtenir Pereira. O acordo inclui ainda a nomeação do secretário de Agricultura Familiar, Suelme Fernandes, como secretário-geral, e o retorno à base aliada do governador Pedro Taques (PSDB), conforme o LIVRE publicou em primeira mão.

O atual secretário-geral Milton Simplício divulgou nota negando que haja conversa sobre mudanças na direção do partido. Ele afirmou que, mesmo que haja desfiliação de membros da direção, “não há prerrogativas que assegurem a destituição do diretório por parte da direção nacional, visto que isso só seria possível caso o PSB fosse uma comissão provisória”.

O membro do diretório Oscarlino Alves (PSB) também reclamou das mudanças. Ele contatou Siqueira para criticar a possibilidade de o partido retornar à base do governo Taques. Presidente do Sindicato dos Servidores da Saúde (Sisma), Oscarlino foi um dos líderes da greve geral de 2016, que durou cerca de 30 dias. Ao LIVRE, o sindicalista disse que tem informações que a nova mudança reporta a negociações entre PSB e PSDB em São Paulo.

“Pelo estatuto do PSB, como é um diretório constituído, mais da metade dos membros teria que renunciar para que uma nova executiva seja montada”, disse Oscarlino.

Decisão em Brasília

O LIVRE apurou que a decisão de trocar o presidente do partido foi tomada depois que Valtenir bateu o martelo sobre a ida ao PMDB em Brasília, na terça-feira (4), em reunião com o presidente Michel Temer. O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, confirmou as mudanças em sua página no Twitter.

O atual presidente da sigla, o deputado federal Valtenir Pereira, deve deixar o partido ainda nesta semana e se filiar ao PMDB, deixando o PSB sob a direção do aliado e vice-presidente Cleber Ávila. Valtenir deve retornar ao MDB depois de oito meses fora do partido. Essa é a quarta mudança somente neste mandato, pois ele se elegeu pelo PROS em 2014 e passou também pelo PMB.

Mudanças de 2017

Max Russi e Suelme fazem parte do grupo de dissidentes que decidiram sair do PSB quando Valtenir se filiou e assumiu a presidência do partido, no ano passado. Com a reviravolta e a decisão do atual presidente de se desfiliar, eles fecharam acordo para permanecer no partido e assumir a direção.

Os desentendimentos dentro do PSB começaram em abril de 2017, quando Fábio Garcia (hoje no DEM) e deputados federais de outros estados votaram a favor da reforma trabalhista, contrariando a orientação partidária. A divergência no Congresso levou a direção nacional a destituir Garcia da presidência do PSB em Mato Grosso e nomear Valtenir em seu lugar, depois de ele passar quatro anos fora da sigla.

Leia a nota de Simplício na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Diante das notícias veiculadas sobre a possível troca na direção do Partido Socialista Brasileiro (PSB) de Mato Grosso, esclarecemos que não há conversas nesse sentido e o diretório segue sob a presidência do deputado federal Valtenir Pereira, que está à frente do partido desde junho de 2017, quando recebeu a missão da direção nacional de reestruturar o PSB em Mato Grosso.

Apesar do descontentamento com a forma com que a direção nacional vem conduzindo o processo de discussão de alianças visando as eleições deste ano – uma vez que em Mato Grosso a direção estadual defende a postura de oposição ao atual Governo -, reforçamos nosso compromisso com a militância do PSB-MT e a sociedade mato-grossense e o intuito de contribuir com o processo democrático.

Reiteramos que independente da saída de membros da direção do PSB-MT, ou desfiliação dos mesmos, não há prerrogativas que assegurem a destituição do diretório por parte da direção nacional, visto que isso só seria possível caso o PSB fosse uma comissão provisória.

Esclarecido os fatos, seguimos em busca do diálogo contínuo e necessário para construção e consolidação do processo democrático.

Atenciosamente,

Milton Simplício

Secretário-Geral do PSB-MT

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS