“Dinheiro recebido por Luciane era pagamento de dívida”, diz Oscar

Luciane Bezerra

 Luciane Bezerra, prefeita de Juara

O deputado estadual Oscar Bezerra (PSB) defendeu a sua esposa Luciane Bezerra (PSB), prefeita de Juara, flagrada em vídeo, na época em que era deputada estadual, recebendo dinheiro na sala de Sílvio Côrrea, ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa (PMSB).

VEJA A COBERTURA COMPLETA DA DELAÇÃO

A gravação, divulgada nesta quinta-feira (24) no Jornal Nacional, é parte do conteúdo da delação premiada de Silval à Procuradoria Geral da República (PGR), homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). No início de agosto, o jornal Folha de S. Paulo já havia divulgado que Silval tinha vídeos de deputados recebendo uma espécie de mensalinho.

Em nota, Oscar afirma que, na ocasião, “Luciane, estava recebendo parte de uma dívida contraída pelo próprio ex-Governador de Mato Grosso” e ressalta que o dinheiro não se trata “de propina alguma”.

O deputado lembrou que a esposa, no período em que atuou como deputada, foi oposição ao governo de Silval e citou que acredita em “perseguição”. “Pela atuação coerente de Luciane, sempre soubemos que em um momento ou outro haveria perseguição”.

Encontro em supermercado

Na delação, o ex-governador afirmou que o Oscar pediu propina de R$ 15 milhões para que a CPI das Obras da Copa fosse engavetada.

O deputado foi o presidente da comissão criada na Assembleia Legislativa. O relatório final apontou um rombo de R$ 541 milhões nas obras e pediu o indiciamento de 96 agentes públicos – entre eles, o ex-governador.

Silval citou um encontro que teve com Oscar no estacionamento de um supermercado da capital e que conseguiu baixar o valor da propina para R$ 10 milhões, sendo que R$ 200 mil foram pagos ao deputado, até ser preso na Operação Sodoma, em 2015.

Em entrevista ao LIVRE, Oscar negou que tenha pedido dinheiro a Silval para enterrar a CPI, mas confirmou que esteve com ele no estacionamento do supermercado, para tratar de um “negócio particular”. O deputado disse que emprestou R$ 550 mil ao ex-governador.

Na nota Oscar enfatiza que está a disposição para o esclarecimento dos fatos.

“Até o momento não fomos procurados por nenhuma autoridade para explicar os fatos. E, após sermos chamados, nossos advogados irão tomar as medidas cabíveis e iremos analisar o conteúdo do material e da delação”.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorPedro Taques faz apelo a tucanos para que defendam o governo
Próximo artigoPSDB quer lançar Taques ao governo e Leitão ao Senado em 2018