Diagnóstico para a covid-19 está demorando até 18 dias em Mato Grosso

Lacen-MT passou a ter menos capacidade de processamento, ao mesmo tempo em que aumentou a demanda por exames

(Foto: Assessoria)

O resultado de exame para a covid-19 já atrasa até 18 dias em Mato Grosso, desde a redução da capacidade de processamento diário pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Mato Grosso (Lacen-MT). E o descompasso pode estar afetando as estatísticas sobre a pandemia. 

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) passou a divulgar, intermitentemente, no dia 12 deste mês, os casos de morte notificados a cada 24 horas, intervalo de atualização dos boletins informativos diários. 

Três dias antes, o secretário Gilberto Figueiredo havia anunciado que a falta de renovação de contrato com a empresa responsável pelos testes reduziu a capacidade de processamento de 1,2 mil para cerca de 450 por dia. O Ministério da Saúde é responsável pelo contrato. 

Desde essa data, os resultados passaram a ter defasagem mínima de cinco dias entre a data do óbito e a divulgação do resultado do exame pelo Lacen. A média de atraso até domingo (28) estava em 11 dias. 

No primeiro boletim com mortes notificadas nas últimas 24 horas anteriores da atualização dos números, havia atraso de cinco dias. No boletim seguinte, com essa informação, o atraso já estava em 18 dias. 

A partir do dia 19, quando a SES passou a divulgar com mais regularidade esse relatório, o tempo de espera pelo resultado de pessoas já com óbito confirmado tem oscilado entre cinco e 18 dias. 

O problema no acompanhamento 

A demora na divulgação do resultado do exame coincidiu com o aumento na demanda por teste. Nas últimas três semanas, Mato Grosso passou a registrar, diariamente, a média de 25 mortes no intervalo de 24 horas e a incidência da covid-19 chegou a mil casos no mesmo intervalo. 

Mas, esses números podem não ser fieis à evolução da pandemia. Um exemplo: entre sexta-feira e sábado, o número de novos casos aumentou 5,4% e de mortes pela covid-19 5,7%. 

Contudo, foi divulgada no boletim do dia 27 (sábado) a confirmação de morte registrada dez dias antes de paciente com sintomas suspeitos. 

Essa defasagem com tempo médio semelhante tem sido registrada diariamente desde no dia 12. 

Outro dado que aponta para problema na estatística são os testes em análises pelos Lacen-MT. Até o último sábado, eles somavam mais de 1,2 mil e representavam 7% do total processo pelo laboratório. 

Isso significa que corpos estão sendo enterrados sem a confirmação de contágio pelo novo coronavírus.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorReviravolta na Chacina de Colniza: desembargador vota pela absolvição de suposto “mandante”
Próximo artigoAmigos: pessoais ou profissionais

O LIVRE ADS