Dez estratégias de marketing digital para o agro em tempos de coronavírus

Em tempos de distanciamento social, a covid-19 evidencia a importância do meio digital para as marcas do agronegócio

As marcas do agronegócio que [ainda] não operavam no ambiente digital foram forçadas economicamente a acelerar esta mudança devido à pandemia da covid-19.

Mais do que turbinar o posicionamento na internet, a hora agora é de relacionamento e vendas à distância, cenário que deve ganhar muita força no pós-coronavírus.

Para ajudar as marcas do agronegócio no desafio de se conectar com o seu público – agora cada vez mais online -, o LIVRE conversou com o especialista em marketing digital, Ronaldo Luiz, da ComResultado, que há 17 anos realiza trabalhados voltados para o agronegócio. Confira as dicas!

1) Trabalhe sua presença digital, com um site, blog ou perfis em redes sociais. Use a internet para mapear oportunidades, identificar tendências, monitorar concorrentes e avaliar riscos.

2) Identifique a persona específica a partir das informações gerais do seu público-alvo, conhecendo os hábitos de navegação de seus prospects e clientes. Uma dica?! Pergunte a eles, crie enquetes, promova gatilhos para interação. De posse destes dados/informações, você poderá refinar suas estratégias de conteúdo e comunicação.

3) Entregue conteúdo útil, não querendo “vender”, diretamente, mas sim falando de temas/assuntos que tenham a ver com o seu negócio.

A abordagem de “prestação de serviço”; é a mais recomendável para o novo consumidor, já que foca na construção de relacionamento confiável com a marca. Exemplos?! Uma empresa de defensivos agrícolas não vai falar das características técnicas do seu novo fungicida, e sim de boas práticas para o uso correto do produto. Já uma fabricante de máquinas agrícolas pode falar de manutenção de maquinário.

Ronaldo Luiz é especialista em marketing digital e há 17 anos trabalha com o setor do agronegócio 

4) Aumente sua base de prospects, oferecendo os chamados “conteúdos ricos”, como, por exemplo, um e-book, um curso online, um webinar exclusivo, um infográfico, uma consultoria digital etc..

Talvez este contato não feche negócio neste momento, mas certamente já estará no fluxo de sua jornada de captação para resultados pós-pandemia.

5) Você também pode investir em anúncios online tanto no Google quanto em redes sociais. Esta é uma ação indicada para alguma ação mais pontual em que você precise de atenção e repercussão rápida.

6) Faça o chamado teste A/B, ou seja, experimente duas versões para um mesmo propósito, e avalie qual obteve maior receptividade junto ao seu público-alvo. Teste, teste e teste, e meça, meça e meça.

7) Faça o exercício de tentar enxergar o “pós pandemia”, procurando antecipar quais assuntos, comportamentos, tendências ganharão força no seu mercado de atuação. Daqui em diante, o digital será cada vez mais requisitado.

8) Produza provas sociais, que nada mais são do que dar visibilidade a depoimentos positivos de seus clientes atuais ou ex-clientes. É aquela máxima, um terceiro falando bem de você vale muito mais, passa muito mais credibilidade.

9) Invista na otimização de SEO (Search Engine Optimization) do seu site ou blog, a fim de melhorar seu ranqueamento nas ferramentas de busca, leia-se, Google. Neste aspecto é trabalhar palavras-chave relacionadas ao seu negócio sob a forma de conteúdo bem estruturado, links customizados, bem como se ater a velocidade
de carregamento do seu site, versões mobile etc..

10) Experimente o processo de “inside sales”, que literalmente é “vender de dentro da empresa”; ou, ainda, “vender de dentro de casa”; nestes tempos de home-office, utilizando as dicas acima e tantas outras mais por meio da construção de relacionamento para uma jornada de compra vencedora.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS