Detento é torturado em presídio por colegas de cela acharem que ele é homossexual

Presidiários espancaram o colega de cela até o deixarem inconsciente, urinaram nele e até tentaram eletrocutá-lo com fio do chuveiro

Reprodução Internet/Ilustrativa

Um detendo de 38 anos, que está recluso no Presídio do Capão Grande, em Várzea Grande (região metropolitana de Cuiabá), foi vítima de um espancamento dentro de sua cela durante a madrugada dessa sexta-feira (18) por seus cinco companheiros de cela.

O motivo do espancamento, segundo a vítima, seria pelos suspeitos acharem que a vítima era homossexual e, também, que ela pertencia à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

O presidiário foi bastante agredido, ao ponto de desmaiar várias vezes durante as agressões. Uma das vezes, acordou com os suspeitos urinando em cima dele, dizendo que “era isso que a vítima queria”, se referindo ao órgão sexual masculino.

Ele disse, ainda, que os colegas de cela também tentaram lhe eletrocutar com um fio elétrico do chuveiro.

Os suspeitos também ameaçaram o detendo espancado dizendo que se fossem denunciados iriam matá-lo, pois pertenciam à facção criminosa Comando Vermelho, que eram uma família e que “a ‘família’ o acharia até embaixo da saia de sua mãe”.

O caso foi registrado como lesão corporal, tortura, em razão de discriminação racial ou religiosa, e tentativa de homicídio doloso.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorConstrangimento
Próximo artigoMulher é agredida pelo marido por recusar relação sexual