Destino de emenda para saúde será decidido por Taques e Emanuel

Ednilson Aguiar/O Livre

Pedro Taques Emanuel Pinheiro

Emanuel Pinheiro e Pedro Taques: confusão gerada por indefinição da bancada federal de Mato Grosso será desfeita em reunião entre os dois

A destinação da emenda de R$ 80 milhões da bancada federal de Mato Grosso para o setor da saúde deve ser decidida diretamente entre o governador Pedro Taques (PSDB) e o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB). Ambos devem se reunir com os deputados federais e senadores do Estado, em Brasília, na próxima segunda-feira (30).

De acordo com Emanuel Pinheiro, que está na capital federal nesta quinta-feira (26) para uma reunião no Ministério da Integração Nacional, o convite foi feito junto com a proposta de resolver a questão “de uma vez por todas”.

Na semana passada, quando recebeu o secretário-chefe da Casa Civil, Max Russi (PSB), e o secretário municipal de Planejamento, Zito Adrien, a bancada havia decidido destinar R$ 30 milhões para o governo do Estado quitar dívidas com hospitais do interior e R$ 50 milhões para a Prefeitura de Cuiabá iniciar a compra dos equipamentos do novo pronto-socorro, que deve ter as obras concluídas em abril de 2019.

Na quarta-feira (25), no entanto, os membros da bancada teriam sido informados de que, no lugar da ata dessa reunião, havia sido protocolada junto ao governo federal uma ata datada de março. No documento, todos os R$ 80 milhões seriam destinados ao governo do Estado.

De acordo com o deputado federal Nilson Leitão (PSDB), a substituição ocorreu sem o conhecimento da maioria da bancada. Isso porque, além de estar “vencido”, o documento não possuiria quatro das 11 assinaturas necessárias.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

O LIVRE ADS