Desenvolvimento real – novo boom imobiliário

Quando o setor público abre o cofre para investir em obras de infraestrutura o setor privado amplia a responsabilidade e o desejo de contribuir ainda mais com o desenvolvimento. Alavancar a retomada do crescimento só se torna sustentável e real quando os dois entes caminham juntos, seguem avante. Essa é a principal fórmula de um Estado ou Nação quando projetam gerar mais riquezas. Mato Grosso se posiciona assim e precisa continuar na linha de prosperidade, seja com o Agronegócio, construção civil ou demais segmentos.

Neste período que se denomina pós pandemia todos os setores produtivos estão ávidos para dar sua força motriz a nova realidade e a necessidade de ampliar horizontes. De um lado o Estado aguarda investimentos da ordem de R$ 11 bilhões com a ferrovia Estadual contemplando o escoamento da produção da agrícola, investimento 100% privado. De outro lado contempla obra grandiosa na MT 251, com a construção do Parque Novo Mato Grosso, um espaço multiuso a um custo de R$ 150 milhões, valorizando toda a região da Trincheira Engenheiro Roberto Flávio Abbott de Castro Pinto, entre a Rodovia Helder Cândia, que liga Cuiabá ao Distrito de Nossa Senhora da Guia (MT-010). Neste caso uma parceria do público com o privado.

Todos esses cenários favorecem a construção civil em suas diversas frentes, aumentando de forma exponencial o estímulo para lançamentos de empreendimentos habitacionais, geração de emprego e renda, dando a esta equação um resultado extraordinário, o fortalecimento da nossa economia. A construção civil que contribui na casa de 10% com o PIB Nacional cumpre sempre seu papel social nos melhores e nos mais desafiadores momentos. E agora ganha folego renovado com os olhares e recursos públicos anunciados para a região metropolitana.

O setor privado vai dar sua contrapartida, no horizonte vislumbro um novo boom imobiliário, além das já citadas obras acima, outra destaco com a mesma imponência. Os editais de duas licitações da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística para pavimentação das rodovias MT-400, a antiga estrada da Guia, e a MT-030, levando o asfalto até a Ponte de Ferro. Gerando assim 23 quilômetros de rodovias, com um investimento de R$ 23,8 milhões. Já se tornando uma nova região para habitação, comércio e demais conglomerados.

A retomada doo crescimento se faz urgente e acontece com o empenho de todos, com otimismo, seriedade e todo o compromisso de empreendedores que não se intimidam em contribuir para a modernidade da nossa região metropolitana.

Amir Maluf, diretor do Grupo São Benedito

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDisputas individuais voltam a minar projeto eleitoral de partidos à esquerda em MT
Próximo artigoMendes pedirá licença do cargo para acompanhar esposa em tratamento de saúde