Desenvolve-MT: prioridade é potencializar crédito emergencial a micro e pequenos empresários

Com aporte de R$ 55 milhões, governo do Estado quer alcançar os 141 municípios com novas linhas de crédito

(Foto: Freepik)

A Desenvolve-MT, agência de fomento estadual, está capitalizada e já iniciou a oferta de linhas de crédito emergenciais para atender micro e pequenos empresários que sofreram com os impactos financeiros da pandemia da covid-19, segundo o presidente da autarquia, Jair de Oliveira Marques.

Na semana passada, o Governo de Mato Grosso lançou o programa Desenvolve Emergencial, que, através da autarquia, está liberando R$ 55 milhões em três linhas de crédito para atender emergencialmente as pequenas empresas.

“O resultado será a liberação de maior volume de operações e estar presente nos 141 municípios do Estado em melhores condições de ofertar recursos no que se refere a prazos e juros”, afirma ele, em entrevista especial.

A Desenvolve-MT chegou a figurar na lista de autarquias e empresas estatais a serem extintas por baixo desempenho, porém conseguiu reverter a situação. Qual o trabalho desenvolvido, para torná-la economicamente viável e estabilizada?

Jair de Oliveira Marques – Uma das primeiras atitudes tomadas pela atual diretoria, foi levar aos nossos colaboradores uma mensagem de motivação, de que havia possibilidade de reversão daquela situação. Para isso, era preciso o comprometimento de todos para tornar a agência novamente relevante.

Não só para o próprio governo, como, e especialmente, para a sociedade. Por isso, a necessidade deste comprometimento, para que pudéssemos atender nossos clientes com eficácia e rapidez.

Presidente, 2020 foi um ano difícil economicamente para muitos setores, por conta da pandemia do coronavírus. De que forma, a Desenvolve-MT atuou para diminuir o impacto financeiro negativo das empresas?

Jair de Oliveira Marques – De imediato, o Governo do Estado, por meio da agência de fomento, implementou programas emergenciais para atender os segmentos empresariais mais impactados pela pandemia.

Entendemos que, naquele momento, nossa missão era manter os empregos e as empresas em funcionamento. Para isso, simplificamos e facilitamos o acesso ao crédito.

A decisão em optar, até por necessidade, pela inovação tecnológica, levou a Desenvolve a implantar o Crédito Digital, facilitando nossa chegada em 130 municípios mato-grossenses com ações de crédito. Os resultados foram imediatos, tornando 2020 no melhor ano da Desenvolve, desde sua fundação em 2004.

Houve redução de despesas, reversão de 80% do prejuízo contábil, redução nos índices de inadimplência, maior liberação, em quantidade e em valores, de operações e, ainda, o aumento de quase 100% do lucro contábil, entre os resultados obtidos pela atual gestão.

(Foto: Michel Alvim / SECOM/MT)

Quais as linhas de crédito oferecidas pela Desenvolve MT e quem pode acessá-las?

Jair de Oliveira Marques – A agência possui nove linhas de crédito em seu portfólio, além dos programas emergenciais, disponibilizados por tempo determinado, com recursos repassados pelo Governo do Estado e Assembleia Legislativa, visando amenizar o impacto negativo das empresas dos segmentos de bares, restaurantes e eventos.

Temos também recursos do Fundes/Sedec, do Governo do Estado. Recursos do Fungetur, do Ministério do Turismo, para giro e investimento do trade turístico. Recursos do Finep, para financiar projetos de inovação de empresas – nesse momento, especialmente para a área de saúde.

Podem acessá-las, micro e pequenas empresas, ativas, constituídas, no mínimo, há 12 meses, estabelecidas em Mato Grosso, com faturamento anual até R$ 4,8 milhões.

Qual o planejamento da Desenvolve MT para os próximos anos e o que a população, mais especificamente os pequenos empresários, pode esperar da autarquia para 2021?

Jair de Oliveira Marques – Uma das exigências do governador para a não extinção da agência, cujo decreto foi publicado em 11 de agosto de 2020, foi exatamente a apresentação, por parte da diretoria, de um planejamento para os próximos cinco anos, visando sua sustentabilidade.

Entre as necessidades identificadas para execução deste planejamento estratégico, a maior era a capitalização. Era pequena para as demandas apresentadas. No início da atual gestão, em 2019, o capital social era de cerca R$ 17 milhões. Encerramos 2020 com R$ 22 milhões e mais R$ 4 milhões em processo de capitalização.

Com o aporte de R$ 55 milhões em seu capital pelo Governo do Estado e Assembleia Legislativa, a Desenvolve deve saltar da 15ª posição entre 16 agências de fomento dos pais, para ocupar o 7º lugar.

O resultado será a liberação de maior volume de operações e estar presente nos 141 municípios do Estado em melhores condições de ofertar recursos no que se refere a prazos e juros, incluindo alguns programas de alcance social como o recém-lançado Desenvolve Emergencial para atender ao microempreendedor individual (MEI).

(Da Assessoria)

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBrasil recebe hoje 1,02 milhão de vacinas do consórcio Covax-Facility
Próximo artigoCovid-19: Número de casos ainda deve crescer por seis semanas