Desembargadora com salário de R$ 35 mil quer reembolso por home office

A desembargadora argumenta que está tendo novos gastos com luz e outras despesas do home office

(Foto: reprodução)

Com o salário muito acima da média da população brasileira, uma desembargadora do estado do Maranhão gerou polêmica ao pedir reembolso por estar trabalhando em home office devido à pandemia do vírus chinês.

A desembargadora em questão é Nelma Sarney, cunhada do ex-presidente José Sarney (MDB-MA). A magistrada pediu que a presidência do Tribunal de Justiça do Maranhão considere compensar os “gastos extras” que ela estaria tendo por trabalhar em casa.

De acordo com a magistrada, os juízes estão tendo que gastar com eletricidade, internet e compra de equipamentos no regime de home office.

De acordo com informações da coluna Painel, na Folha de S. Paulo, a magistrada pediu que a presidência do Tribunal de Justiça do Maranhão considere compensar os gastos através de mais bonificações no salário.

Salário muito acima da média

Hoje os salários que o cidadão comum PAGA aos membros do Poder Judiciário são considerados muito acima da média nacional. O salário-base de um desembargador é de R$ 35,5 mil, sem contar os penduricalhos e vantagens extras.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorRota Final: deputado, ex-deputado e empresas são denunciados pelo MPE
Próximo artigoUma mente veloz