(Des)controle interno

Denúncia contra prefeitura de Cáceres já é objeto de ADI no Tribunal de Justiça de Mato Grosso

Ângelo Oliveira, da Audicom (Foto: Assessoria/ Audicom-MT)

A Câmara Municipal de Cáceres tornou pública, na sessão ordinária noturna desta segunda-feira (10), uma denúncia de irregularidades no Sistema de Controle Interno da prefeitura do município.

Trata-se de ofício encaminhado pela Associação dos Auditores e Controladores Internos dos Municípios de Mato Grosso (Audicom-MT). Documento protocolizado junto ao Poder Legislativo municipal na última sexta-feira (7) especifica que a Lei Complementar 115/2017 de Cáceres é inconstitucional.

Segundo argumenta a Audicom, a norma prevê a possibilidade de que servidores de carreira “estranha a do controle interno na Unidade de Controle Interno/ Controladoria Geral do Município desempenhem atividades meramente técnicas, burocráticas, permanentes, próprias de cargos efetivos, que não demandam qualquer relação de confiança com a autoridade nomeante”.

Legislação parecida foi declarada inconstitucional pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 1010030-36.2019.8.11.0000), ajuizada pela Audicom contra o município de Rondonópolis.

O presidente da Audicom, Ângelo Silva de Oliveira, argumenta que o cargo de Controlador Geral do Município não pode ser ocupado por alguém de confiança de quem nomeia – neste caso o prefeito – porque a função precisa de alguém com independência necessária para se houver necessidade apresentar representações externas perante órgãos de controle.

“Por se tratar de uma carreira técnica, a atividade de controladoria interna não é atividade de confiança do gestor público, de forma que seus servidores efetivos não podem ficar submetidos a superiores hierárquicos comissionados, posto que devem possuir autonomia para fiscalizar e auditar os atos internos da administração e assim, poder alertar o chefe do Poder Executivo quanto à vícios de inconstitucionalidade, ilegalidade e de imoralidade nos atos internos da administração”, pontua Ângelo.

O que diz o prefeito de Cáceres?

O prefeito de Cáceres, Francis Maris, afirmou ao LIVRE que discorda da manifestação da Audicom e diz: “A Prefeitura de Cáceres está amparada pela legislação municipal”, ao se referir à nomeação de comissionados em cargos na unidade de controle interno.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMT registra novo recorde histórico nas exportações de carne bovina
Próximo artigoExpoente da arte de MT: Adir Sodré morre aos 58 anos em Cuiabá