Desafio LIVRE: por que é tão difícil começar a reeducação alimentar?

Sabe o "vou ser fitness, mas deixa eu comer esse brigadeiro primeiro"? Karina Cabral e o nutri Gustavo Soares falam a respeito nesse texto

Foto: Reprodução/Pixabay

Vou “ser fitness”, mas primeiro vou comer só mais um hambúrguer. Vou “ser fitness”, mas primeiro deixa passar o Carnaval. Vou “ser fitness”, mas só depois que comer tudo que estou com vontade, só para não correr risco de querer depois. E de mas em mas, eu nunca (re) começo. Essa sou eu: a jornalista ex-fisiculturista, que há três anos só pensa em comer, engordou 20 quilos e não consegue retomar a rotina. Até hoje!

Minha história é um pouquinho diferente do comum. Fui muito magrinha desde pequena – com direito a apelido de Olívia Palito e tudo mais – e comecei a treinar para ganhar massa muscular. Foi quando me apaixonei por uma categoria do fisiculturismo chamada Bikini Fitness e treinei por três anos, até subir no palco, em 2015, com o corpo dos meus sonhos (ou quase isso).

Parecia ótimo, mas tudo tem um preço. Três anos de restrição alimentar me deixaram compulsiva e, depois da competição, passei a comer tudo que via pela frente. De junho de 2015 até agora, ganhei 20 quilos e só acordei no dia em que o médico me disse que já estava muito acima do peso. Mais 3 quilos e eu chegaria ao estágio de pré-obesidade. Um susto e tanto para quem viveu sempre abaixo.

Os últimos três anos e meio foram de várias e várias tentativas de voltar a me alimentar de forma saudável, mas sempre desisto por um motivo bem simples: é muito difícil começar! Mas por quê? O nutricionista Gustavo Soares está me ajudando a entender e, por meio do Desafio LIVRE, vou tentar compartilhar a experiência.

Um passo de cada vez

Segundo Gustado, a dificuldade está em sair da nossa zona de conforto, independentemente de ser uma dieta ou um exercício novo. Mas há várias formas de conseguir se adequar à nova realidade sem susto e diminuindo a chance de desistir. A primeira dica do nutricionista é colocar metas pequenas e atingíveis, fazendo com que seus objetivos sejam mais fáceis de serem alcançados.

Um exemplo é se dar uma meta semanal, algo como “essa semana vou tomar dois litros de água todos os dias”, ou “essa semana não vou tomar refrigerante”. Na próxima, você mantém a meta da semana anterior, que já terá sido alcançada, e lança uma nova, como “essa semana vou trocar o arroz comum, por integral”. Sem perceber, você estará adquirindo hábitos saudáveis de forma natural, pouco a pouco e sem nenhuma pressão.

[featured_paragraph]”Quando você coloca um foco, uma prioridade em seus objetivos e começa aos poucos, o processo se torna fácil de começar e recomeçar”, sustenta Gustavo.[/featured_paragraph]

O nutricionista afirma que essas pequenas mudanças, rapidamente, te trarão benefícios, como dormir melhor, ter uma melhor digestão, reduzir as compulsões por doces, por exemplo. “Claro, todo mundo quer um tempo exato. ‘Em três meses vou me livrar da vontade de doces?’ Não, você não vai se livrar da vontade de doces. A questão é que você vai aprender a controlar a frequência e a quantidade que come. Vai começar a se satisfazer com pequenas quantidades”, diz ele.

Momentos especiais, comidas especiais

A chave para o sucesso da reeducação alimentar é uma palavrinha que parece até clichê, mas é a mais pura realidade: equilíbrio. Não é nunca mais comer, mas deixar de comer sempre, por pura ansiedade (meu caso) e passar a comer somente quando for especial para você. Dentro desse contexto, você não deixa de ir em um aniversário ou comemoração só para não passar vontade. É preciso entender que trata-se de uma noite e, no outro dia, tudo volta ao normal. E, principalmente: você não precisa se culpar, basta recomeçar.

“Toda vez que você começa a estabelecer esse processo sem culpa e começa, de forma clara, a entender que, ao longo do processo, é necessário você sempre estar reavaliando sua evolução, fica mais fácil um recomeço. Eu costumo falar que você tem que fazer o que você consegue e, a cada dia, ir evoluindo e melhorando. Assim, toda vez que você tiver uma ‘falha’, vai servir como aprendizado. E valorizar suas evoluções é muito mais importante do que as falhas”, explica Gustavo.

Então, recomeçaremos, de novo!

Dessa vez, eu pretendo começar aos poucos e nunca mais desistir. Quem quiser acompanhar, minha rotina de treinos e alimentação vai estar no meu Instagram pessoal @kahcabral. Vocês também podem acompanhar todos os 10 participantes do #DesafioLIVRE no @sigaolivre e as dicas do nutricionista Gustavo Soares no perfil dele, @nutrigustavo.

Para marcar uma consulta com o “nutri que treina” é só ligar no (65) 3614 9500, telefone da Gastrocenter, no bairro Goiabeiras, ou chamar no WhatsApp (65) 98112 7623 para ser atendido no Instituto Jardim, no Jardim Cuiabá.

Até a próxima!

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorMoradores ajudam PM a prender suspeito que rondava casas com arma de brinquedo
Próximo artigoApagão na Venezuela pode ter causado 15 mortes