Deputados prometem brigar para manter PSD ao lado de Taques

Gilmar Fabris se prepara para buscar apoio de mais prefeitos e líderes se houver votação para decidir rumo do partido

Os quatro deputados estaduais do PSD que planejam ser candidatos nas eleições deste ano prometeram ao governador Pedro Taques (PSDB) que vão tentar manter o partido na coligação dele, em sua provável campanha pela reeleição. Em reunião com o governador nesta quinta-feira (22), Gilmar Fabris, Wagner Ramos, Pedro Satélite e Ondanir Bortolini “Nininho” reafirmaram o compromisso de dar sustentação ao governo na Assembleia Legislativa.

“Quase metade dos 27 prefeitos do PSD estão alinhados com os quatro deputados. Nós vamos consultá-los e conversar sobre o apoio ao governador”, explicou Gilmar Fabris ao LIVRE. “Se houver uma votação no partido para decidir isso, vamos ver quem são as pessoas que vão votar. Se forem os prefeitos, nós vamos atrás de mais prefeitos”, completou.

O encontro da bancada com o governador foi poucas horas depois da reunião do PSD que deliberou pela entrega dos cargos da cota partidária e pela independência da sigla em relação ao governo, realizada na noite de quarta-feira (21). Na ocasião, ficou decidido que os deputados teriam liberdade para apoiar Taques na Assembleia e não precisariam entregar os cargos que indicaram no governo. Enquanto isso, o presidente do partido e vice-governador, Carlos Fávaro, recebeu carta branca para articular uma aliança para sua pretensão de ser candidato a senador.

O deputado José Domingos Fraga não participou do encontro. Ele já anunciou que não será candidato neste ano. Além disso, está alinhado com a posição do irmão Neurilan Fraga, que é presidente da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) e porta-voz dos que desejam romper com o governo.

“Insatisfeitos”
Fabris reafirmou que o PSD passou três anos na base de Taques, desde a filiação do vice-governador Carlos Fávaro, e que vai defender que a sigla continue ao lado dele. Se for voto vencido, ele admite deixar o partido. “Pedro Taques é candidato à reeleição. Se o partido não for apoiá-lo, tem que romper definitivamente com ele antes do dia 7 de abril, para que os insatisfeitos procurem um novo rumo”, disse.

Pedro Satélite disse que, até o momento, os quatro deputados têm o plano de marchar juntos, ao lado do governador. “Na reunião de ontem, alguns prefeitos pediram para Fávaro ser candidato a governador. Diante disso, a bancada foi dizer ao governador que somos solidários a ele. Os deputados apoiam o governador há três anos. Precisaria haver um motivo muito forte para romper agora”, disse. “Mas nosso compromisso com a candidatura de Fávaro ao Senado está de pé”, completou.

A matemática do quociente eleitoral também pesará na decisão dos rumos dos parlamentares. “Nós defendemos um chapão com três ou quatro partidos, e é preciso acertar todos esses pontos”, disse Satélite. “Mas política é assim mesmo, todos os partidos estão conversando e temos até 5 de agosto, quando se encerram as convenções, para definir”, concluiu.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorEmpresa chinesa tem interesse em investir em fábrica de placas solares
Próximo artigoTJ-MT cria mais dez cargos de assessores

O LIVRE ADS