Deputados não querem dividir fundo de R$ 40 milhões que atende hospitais filantrópicos

Propostas do governo e do primeiro-secretário Eduardo Botelho para redistribuir o Fundo da Saúde foram rejeitadas

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O governo de Mato Grosso encontra resistência de deputados estaduais para abrir o Fundo da Saúde para outras áreas. Mensagem encaminhada para a Assembleia Legislativa propõe a inclusão do Fundo de Ações Sociais na lista de beneficiados. 

Em 2020, a arrecadação ficou em R$ 39,2 milhões – e a estimativa é de que o valor ao menos se repita neste ano. Pela proposta do governo, o dinheiro seria dividido 50% a 50% entre os fundos, porém foi rejeitada.  

Ontem (6) seria votado um substitutivo do deputado Eduardo Botelho (DEM) que revisa as fatias para 80% ao Fundo da Saúde e 20% ao Fundo das Ações Sociais. Novamente houve reação negativa. 

O Fundo da Saúde expirou em junho de 2020, após o prazo de três anos previstos para reserva de dinheiro para socorrer unidades de saúde vinculadas ao SUS. 

Articulação dos contrários 

Conforme apuração do LIVRE, o substitutivo era motivo de desacordo mesmo antes do início da sessão extraordinária que interrompeu o recesso dos parlamentares.  

Durante a reunião, o presidente da Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social, deputado Dr. João (MDB) disse redução vai aumentar o problema do setor de alta complexidade. 

“Os hospitais filantrópicos correspondem a 95% dos atendimentos de alta complexidade no Estado. Se formos comparar o custo de qualquer cirurgia de um hospital e um hospital filantrópico, ele deve ser de cinco a dez vezes menor no filantrópico, onde se resolve o grande problema da alta complexidade”, afirmou. 

O parlamentar quer criar um planejamento para atender as unidades de saúde privadas que atendem a rede pública. 

O projeto substituto foi liberado para vista ao deputado Lúdio Cabral (PT) e deve voltar ao plenário no começo de agosto.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anterior“Tem que ter vergonha de não pagar imposto”, diz Paulo Guedes sobre tributação de dividendos
Próximo artigoQueiroga visita MT