Deputado questiona escolha de ex-secretário para integrar CPI

Thiago Silva acabou como suplente para que Carlos Avalone tivesse vaga de membro titular

Ednilson Aguiar / O Livre

Inicialmente cotado para assumir a presidência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Renúncia e Sonegação Fiscal, o deputado Thiago Silva (MDB) subiu à tribuna na sessão plenária desta quarta-feira (13) e para reclamar da escolha de Carlos Avalone (PSDB), ex-secretário de Desenvolvimento Econômico – Pasta que, justamente, comandava a concessão dos incentivos até o final do ano passado.

Afirmando não ter sido eleito por nenhum segmento econômico, ele culpou a base governista. Thiago Silva acabou como suplente na CPI e, por conta disso, a presidência da comissão deve restar para Wilson Santos (PSDB), autor do requerimento pela investigação. 

Os deputados ainda têm que decidir quem vai ser o relator. As opções são Janaina Riva (MDB) ou Ondanir Bortolini, o Nininho (PSD).

Na tribuna, Thiago Silva defendeu ser inadmissível que, em um momento de crise, o governo tenha feito tantas concessões de incentivos fiscais. “Precisamos averiguar de forma profunda esses incentivos, se realmente está tendo retorno para o Estado”, disse.

Suposta interferência

Wilson Santos disse desconhecer como a articulação para escolha dos titulares e suplentes aconteceu dentro da base governista. Amenizou, porém, sustentando que Thiago Silva vai poder participar normalmente da CPI, com a diferença de não poderá votar.

Já Janaina Riva, que defendeu o nome de Thiago para a presidência, afirmou que essa foi uma ação do governo. “É o bloco que ele escolheu fazer parte, então, o governo acabou preterindo a indicação dele”, afirmou.

Sobre a relatoria, a deputada disse preferir que outro parlamentar assuma o posto.

Além de Wilson, Janaina, Nininho e Avalone, também é membro titular o deputado Max Russi (PSB). Na suplência estão João Batista (Pros), Elizeu Nascimento (DC), Dilmar Dal Bosco (DEM), Dr. Eugênio (PSB) e o próprio Thiago Silva.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorExame atesta febre amarela em macacos mortos; prefeitura diz não haver risco
Próximo artigoO massacre de Suzano: má-fé e ignorância desarmamentista