Deputado quer mais CPIs na Assembleia Legislativa

Wilson Santos apresentou proposta que aumenta de 3 para 5 o número máximo de CPIs funcionando ao mesmo tempo

O deputado estadual Wilson Santos (PSDB) apresentou uma proposta que altera o Regimento Interno e permite à Assembleia Legislativa elevar para até cinco o número de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) abertas e tramitando ao mesmo tempo.

Atualmente, só podem existir 3 investigações do tipo concomitantemente. O Regimento prevê apenas uma exceção – ou seja, uma quarta CPI – no caso de 2/3 dos deputados – o equivalente a 16 deles – concordar com isso.

Wilson quer elevar esse número máximo para 5. Pela proposta dele, 4 CPIs poderiam ser instadas ao mesmo tempo e a quinta precisaria desse apoio maior para existir. Hoje, para que uma CPI “comum” seja instalada, são necessárias as assinaturas de 8 parlamentares.

Na justificativa do projeto, o deputado tucano argumenta que a ideia é “preservar uma das principais funções constitucionais do Parlamento, que é a de fiscalizar os atos do poder Executivo e demais poderes e órgãos”. Destaca ainda que, limitar o número de CPIs “restringe este poder investigatório”.

Na Câmara de Cuiabá, que tem quase a mesma quantidade de parlamentares que a Assembleia – são 25 vereadores e 24 deputados estaduais – já há previsão de instalação de até 5 CPIs ao mesmo tempo. No Legislativo municipal, entretanto, as comissões de inquérito são compostas por apenas 3 membros, enquanto que, no estadual, são 5.

Se a proposta de Wilson for aprovada, havendo 5 CPIs instadas ao mesmo tempo na Assembleia, pelo menos um deputado vai ter que participar de duas investigações concomitantemente. Isso sem considerar o fato de que todas elas precisam da mesma quantidade de membros suplentes.

*Com assessoria

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorDisque-corredor
Próximo artigoDeputado recorre para obrigar Prefeitura de Cuiabá a intervir na Santa Casa

O LIVRE ADS