Deputado federal vira investigado do STF por suposta difusão de fake news

Ministra Carmen Lúcia transformou em inquérito uma denúncia do Ministério Público sobre "ato criminoso" a processo em sigilo

(Foto: Ednilson Aguiar/ O Livre)

O deputado federal José Medeiros (Podemos) passou a ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por suposta propagação de informação falsa (fake news).  

A investigação se instaura a partir da transformação de uma denúncia do Ministério Público de Mato Grosso (MPE) em inquérito pela ministra Carmen Lúcia. A abertura do procedimento foi publicada nesta segunda-feira (27), no Diário Oficial de Justiça.

A apuração ocorrerá sob sigilo.  

Vice-líder do governo federal na Câmara dos Deputados, José Medeiros é acusado pelo Ministério Público de utilizar informação sobre uma eleição privada, com urna eletrônica, para “falsificar” informações sobre a segurança do equipamento. 

A denúncia assinada pelo procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges, foi publicada no 11 de agosto. O documento diz que o deputado federal teria se servido de processo para a escolha de nova diretoria do Hospital Militar de Mato Grosso, que teve uma denúncia de manipulação de votos, para alegar que as urnas eletrônicas estão à mercê de fraude. 

A investigação sobre a eleição do Hospital Militar, ocorrida em dezembro de 2019, tramita em segredo de justiça e José Medeiros teria divulgados informações durante live em redes sociais. 

O argumento do MP acatado pela ministra Carmen Lúcia para a investigação ao parlamentar é que ele “de má fé, falseou a realidade dos fatos” e “utilizou criminosamente documento público do Ministério Público de Mato Grosso que trata de eleição de uma entidade associativa administradora de uma unidade hospitalar, deixando a entender que se tratava de uma eleição parlamentar ou para cargo executivo”. 

O que diz o deputado? 

Em nota, o deputado federal José Medeiros disse que ainda não foi notificado sobre ação e a abertura do inquérito. Mas, afirmou que as instituições públicas no Brasil “estão sendo usadas por forças políticas” em função do processo eleitoral de 2022.    

No caso em questão, disse haver “manobra política” do Ministério Público “de taxar a verdade dos fatos de fake news na tentativa de enganar a população”. 

“Infelizmente, estão fazendo isso contra o presidente Jair Bolsonaro e seus aliados em todo o país. Apesar da visível perseguição e ataques que vem sofrendo desde que começou a denunciar as mazelas do governo Mauro Mendes, Medeiros garante que vai continuar defendendo os interesses da população mato-grossense e brasileira”, afirmou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorNovos sabores para Cuiabá sem perder nossa regionalidade
Próximo artigoMato Grosso registra apreensão recorde de cocaína