Deputado de MT defende uso de medicamentos “preventivos” a covid-19

Xuxu Dal Molin foi criticado pelo colegas na sessão da Assembleia Legislativa por defender que a população se auto medique

O deputado estadual Xuxu Dal Molin (PSC) defendeu que a população utilize medicamentos “de prevenção” ao novo coronavírus que não apresentaram nenhuma comprovação científica.

A declaração foi dada na manhã desta terça-feira (2), durante a sessão ordinária em que a Assembleia Legislativa de Mato Grosso aprovou o Projeto de Lei 155/2021, que institui multa a pessoas físicas e jurídicas que descumprirem regras sanitárias de contenção à covid-19.

O parlamentar também se mostrou contrário à proposta do deputado Lúdio Cabral (PT) que, minutos antes, havia defendido um lockdown severo com a completa interrupção das atividades econômicas pelo período de 15 dias.

Além de defender o uso de medicamentos de forma precoce, Xuxu Dal Molin cobrou que os demais deputados façam o mesmo.

“Nós precisamos fazer propaganda disso também. E ninguém quer fazer! Só ficam falando que tem que fechar e parar! Fome mata também! Desemprego mata também! Chega dessa conversa!”, disse.

O deputado também defendeu as medidas de restrição social, porém, foi radicalmente contra o lockdown, por entender que seria extremamente prejudicial a Mato Grosso.

“Quando algum colega fala que tem que fechar até a indústria, vale lembrar que indústria que nós temos é de alimentos. Nós não temos estoque de alimentos para manter a nossa população, simplesmente, em casa como algumas pessoas, por ignorância política ou maldade, ainda querem entrar nessa situação”, concluiu.

Discurso “bolsonarista”

O deputado Carlos Avalone (PSDB) criticou a fala de Xuxu Dal Molin, associando à declaração em defesa de medicamentos sem eficácia comprovada ao mesmo discurso propagado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

“Respeitando muito o presidente e o deputado, mas aconselho a população a só tomar medicamento que o médico determinar. Não há unanimidade. Por favor, não tome remédio por iniciativa própria. Consulte os médicos”, disse.

Avalone ainda criticou o discurso de Bolsonaro e atribui ao presidente da República a responsabilidade pela insuficiência de vacinas para atender a população.

Foi a descrença do nosso presidente que causou a falta de vacina. Falou que a vacina do Butantã transformava [quem a tomava] em jacaré. Já passou da hora de ir atrás de vacina. Em Israel, 50% da população está vacinada porque o primeiro ministro passou até cinco horas da manhã falando com representantes de laboratórios. Falta vontade política”, declarou.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBolsonaro pode escolher novo partido em breve
Próximo artigoEm VG, prefeito fecha parques, praças e determina toque de recolher a partir das 21h