Depois de ganhar aumento, funcionários dos Correios devem suspender greve

Paralização começou em agosto e os funcionários deverão compensar a metade dos dias parados

Arquivo/Agência Brasil

Na tarde desta segunda-feira (21), o Tribunal Superior do Trabalho (TST) aprovou um reajuste salarial de 2,6% para os funcionários da Empresa Brasileira de Correios Telégrafos (ECT ou Correios).

Depois da decisão, os funcionários são obrigados a retornar às atividades e uma multa de R$ 100 mil diários foi estipulada para a categoria caso não retornem ao trabalho ainda na próxima terça-feira (29).

Na decisão os ministros do TST chegaram a um entendimento de que a greve não foi abusiva. Portanto, apenas metade dos dias parados serão descontados na folha de pagamento dos funcionários.

Motivos da greve

A paralisação começou depois da revogação do atual Acordo Coletivo, que até então estaria em vigência até 2021. Em agosto, o Supremo Tribunal Federal (STF) suspendeu 70 das 79 cláusulas do acordo a pedido dos Correios.

Para resolver a questão salarial e outras despesas da empresa, o Correios fez a proposta de “discutir benefícios que foram concedidos em outros momentos e que não condizem com a realidade atual de mercado. Por tanto, aumentando os preços de envios.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorAlívio para o Incra
Próximo artigoTJ mantém decreto e nega escolha de férias e licença-prêmio a professores