Demandas sobre coronavírus

As denúncias, reclamações e pedidos têm sido apresentadas ao Gabinete de Situação do Estado

(Foto: Ligiani Silveira - CGE/MT)

A Controladoria Geral do Estado (CGE-MT) passou a informar o Gabinete de Situação – criado para monitorar a pandemia de coronavírus em Mato Grosso – sobre as manifestações que a população tem feito sobre o tema junto à rede de ouvidorias do Estado.

Conforme divulgado pela CGE, de 15 de março até esta segunda-feira (6), a ouvidoria recebeu 137 demandas relacionadas ao coronavírus.

Deste universo, 38% eram solicitações para saber de andamentos de processos e esclarecimentos de dúvidas sobre como acessar os serviços públicos.

Também foram recebidas denúncias – que equivalem a 31% do total de solicitações – e reclamações – que totalizam 19% dos atendimentos.

Entre as questões estiveram dúvidas sobre habilitação de trânsito, trabalho e emprego, vigilância epidemiológica, contratação de profissionais para a área de saúde, suspensão das aulas nas escolas estaduais e publicação dos decretos e medidas relacionados à pandemia.

Os boletins começaram a ser gerados dia 15 de março, a partir do agravamento da pandemia no mundo, da ocorrência da primeira morte provocada pelo novo vírus no Brasil e da confirmação do primeiro caso de coronavírus em Mato Grosso.

Todos vão subsidiar o Gabinete de Situação na tomada de decisões estratégias de combate à doença.

Contato

Além da Central de Atendimento COVID-19, disponibilizada pela Secretaria de Estado de Saúde, por meio do número 0800 647 1223, a população tem à disposição os canais de Ouvidoria para dúvidas, denúncias e reclamações.

Os contatos com a ouvidoria podem ser feitos pelo WhatsApp (65) 9 8476-6548 e pelo endereço www.ouvidoria.mt.gov.br/falecidadao.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorHomem casado conhece travesti em site de prostituição e sofre extorsão
Próximo artigo“Novo normal”

O LIVRE ADS