DEM em Mato Grosso aceita entregar diretório a dissidentes do PSB

Ednilson Aguiar/O Livre

Jaime Campos

Jayme Campos resistiu, mas acabou aceitando dissolver diretório eleito em 2015: objetivo é abrir espaço para dissidentes do PSB

Depois de alguma resistência, a cúpula do DEM em Mato Grosso entrou em acordo com a direção nacional e decidiu aceitar a dissolução do diretório estadual. O objetivo é abrir espaço no diretório para acomodar líderes dissidentes do PSB e dividir com eles a direção do partido.

“Já está firmado que o diretório será dissolvido, porque vêm muitos deputados de outros partidos e precisa de espaço”, afirmou o ex-senador Jayme Campos (DEM) ao LIVRE. “Não vejo dificuldade nisso. É natural no processo político. Mas tem que ser feito de forma respeitosa com a atual direção do partido”, completou.

O atual presidente do DEM, o deputado estadual Dilmar Dal’Bosco, disse que não foram definidos os cargos que serão entregues aos novos filiados. “Concordamos em mexer no diretório, fazer uma nova comissão provisória com os dissidentes do PSB. Não discutimos quais cargos eles terão”, afirmou.

O acordo para filiação dos deputados federais Fabio Garcia e Adilton Sachetti está sendo costurado com membros da direção nacional do DEM, entre eles o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia. A cúpula quer aproveitar as brigas internas no PSB para ampliar a bancada no Congresso Nacional, que hoje conta com 29 deputados.

“O fortalecimento nacional deve ocorrer com a entrada de 12 dissidentes do PSB e mais alguns parlamentares de outros pequenos partidos. A meta é chegar a 50 deputados federais”, explicou outro líder do DEM, o ex-deputado federal e ex-governador Julio Campos.

99% acertado

Eleita em outubro de 2015, a executiva estadual está em vigor até outubro de 2018. Com a dissolução do diretório, deve ser nomeada uma comissão provisória para dirigir a sigla nos próximos meses. Na sequência, deve ser realizada uma nova eleição.

Apesar do entendimento para abrir espaço no diretório, Garcia e Sachetti ainda não “bateram o martelo” sobre a filiação. “Fábio diz que está 99,99% dentro do DEM. Mas eles têm que estar 100% dentro do partido antes de definir que cargos eles vão ocupar”, afirmou Dal’Bosco.

Adilton Sachetti disse que ele e seus aliados estão avaliando diversos fatores antes de tomar a decisão sobre o novo partido. “Não foi tomada a decisão. Nada é definitivo. Nessa hora, todo mundo conversa com todo mundo”, declarou. Ele afirmou, ainda, que a dissolução dos diretórios do DEM deve ser feita para integrar os novos filiados, e também não é imposta. “As coisas estão sendo conversadas”, disse.

Fabio Garcia e Adilton Sachetti saíram do PSB depois de desentendimentos com a direção nacional – que inclusive levaram à nomeação do deputado federal Valtenir Pereira como presidente da sigla no estado.

Outros líderes do PSB, como o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes, o presidente da Assembleia Legislativa Eduardo Botelho e outros deputados estaduais, também estão decididos a sair do partido e podem se filiar ao DEM.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorGaeco pede a condenação de Riva por quadrilha e desvio de dinheiro público
Próximo artigoTCE suspende reajuste de salários de agentes fazendários