DEM cobra espaço no governo de Mauro Mendes

Nomes de Antonio Contini, Érico Piana e Adriano Silva são ventilados pelo partido

(Foto:Ednilson Aguiar/ O Livre)

O DEM de Mato Grosso busca espaço no governo de Mauro Mendes (DEM), que se inicia em 1º de janeiro de 2019, com a indicação de pelo menos um secretário. O partido tem feito reuniões para fechar os nomes a serem oficialmente indicados e as respectivas pastas.

“Mauro agora é governador do estado de Mato Grosso, não só do DEM, mas de todos os partidos, de quem apoiou e não apoiou. Então ele não pode pensar no partido, tem que pensar no governo. O que pedimos ao Mauro foi que o partido tenha condições de indicar um nome para secretário. Estamos aguardando terminar a transição para ver como fica a máquina e, das secretarias, optar por uma, duas ou três e entregar os nomes. Ele vai analisar o perfil da pessoa e para qual secretaria seria adequado”, disse o deputado estadual Dilmar Dal’Bosco (DEM).

Entre os nomes ventilados na sigla, estão os dos ex-prefeitos de Sinop Antonio Contini e de Primavera do Leste Érico Piana. No entanto, Dilmar não citou quais pastas eles poderiam assumir. Outro nome que está na mesa é o do ex-reitor da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) Adriano Silva.

Suplente de deputado estadual, Adriano abandonou a candidatura à Assembleia Legislativa para substituir Fabio Garcia como candidato a deputado federal do partido, e amargou a terceira suplência. Presidente do DEM em Mato Grosso, Fabio desistiu da reeleição e compôs a chapa de Jayme Campos ao Senado, e acabou eleito como primeiro suplente.

“O professor Adriano foi a sacrifício pelo nosso partido como candidato a deputado federal. Ele é uma pessoa com extrema competência e pode ir para a Secitec (Ciência e Tecnologia), a Seduc (Educação), a Saúde”, citou. A Secitec é a pasta à qual a Unemat e o Fundo de Apoio à Pesquisa (Fapemat) se vinculam, e Adriano já atua nessa área, na equipe de transição de Mendes.

Fabio Garcia e a cota pessoal de Mauro

A possível nomeação do deputado federal Fabio Garcia, bastante cotado nos bastidores como futuro chefe da Casa Civil, não entraria na cota do DEM. Apesar de ser presidente estadual do DEM, por ser muito próximo a Mendes, seria considerado cota pessoal do futuro governador. Fabio, no entanto, tem avaliado questões pessoais para decidir se compõe ou não o staff do próximo governo, pois tem proposta para administrar as empresas da família da esposa. Para isso, teria que se afastar da política.

“Acho que Fabio Garcia é uma cota pessoal do governador. A nomeação depende de ele aceitar, porque Fabio é uma pessoa experiente, da confiança do governador, é amigo dele, e seria um bom nome para qualquer pasta: Educação, Saúde, Casa Civil. Para nós seria bom se ele escolhesse, seria mais um do partido”, disse Dilmar.

Mais partidos

Outras siglas acenam também com o desejo de indicar nomes para o staff, como o PSD de Carlos Fávaro. O senador eleito Jayme Campos já declarou que todos os partidos que apoiaram a eleição de Mauro Mendes devem indicar secretários.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorUnião prorroga para 2019 prazo retomada de obras em escolas
Próximo artigoFestival de sertanejo, arte na Chapada e exposição de carros antigos marcam fim de semana