Defensoria pede R$ 200 milhões ao Carrefour pela morte de João Alberto

O valor da indenização deve ser destinado a fundos de combate à discriminação racial

(Foto: Reprodução/Video)

A Defensoria Pública do Rio Grande do Sul pediu uma indenização de R$ 200 milhões para a Rede Carrefour e a empresa de segurança Vector por conta da morte de João Alberto Silveira Freitas. Ele foi espancado por seguranças do mercado até a morte. O motivo teria sido uma confusão no local.

Até o momento, dois seguranças e uma funcionária do Carrefour foram presos preventivamente pelo envolvimento no crime.

Em nota, o Carrefour informou que ainda não foi citado oficialmente para os termos das ações e reforça que se coloca à disposição da Justiça para contribuir com todas as informações necessárias.

No processo inicial, além do valor da indenização, a Defensoria pede que o Carrefour apresente um plano de combate ao racismo e também de treinamento a seus funcionários,  para combater tratamento discriminatório.

Antes do processo, o Carrefour já havia publicado um vídeo onde falou publicamente sobre o caso e se comprometeu a lutar contra o racismo.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorA revolução silenciosa dos meios de pagamento
Próximo artigoAcusado de envolvimento em homicídio de jornalista no interior de MT é preso