Defensoria pede para Prefeitura cancelar edital para contratar empresa de coleta seletiva

É solicitada abertura de concorrência simplificada entre as cooperativas e associações de catadores

Cooperativas de catadores receberam caminhões para fazer a coleta do material reciclável (Foto: reprodução/Ilustração)

A Defensoria Pública de Mato Grosso entrou com um pedido administrativo para que a Prefeitura de Várzea Grande cancele o edital do processo licitatório para contratação de empresa de coleta seletiva de resíduos recicláveis no município. É solicitado ao Executivo que seja aberta concorrência simplificada entre todas as cooperativas e associações de catadores, como determina a lei.

O edital em sua forma atual, de acordo com a defensora pública Cleide Nascimento, é ilegal e inconstitucional e pode acarretar ao gestor municipal, sob responsabilidade de Lucimar Campos (DEM), improbidade administrativa.

“Sequer deveria ser aberto o processo licitatório para a contratação de empresas para a coleta seletiva, haja vista que tal encargo pertence, por lei, aos catadores de materiais recicláveis”, pontua a defensora pública.

Ela destaca que o edital restringe a concorrência as pessoas jurídicas, na modalidade de empresas. “Extirpando, por completo, qualquer chance de habilitação e concorrência com as associações e cooperativas de catadores”.

Caso a solicitação não seja atendida pela Prefeitura de Várzea Grande haverá o pedido de suspensão do certame junto à Justiça, para análise e julgamento.

Use este espaço apenas para a comunicação de erros





Aceito que meu nome seja creditado em possíveis erratas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Artigo anteriorBolsonaro: “está fora de cogitação” país se sujeitar a outras nações
Próximo artigoApesar de ressalvas, TRE autoriza que ação de caixa 2 contra Selma seja compartilhada